Sem Neymar, Seleção aposta em força do conjunto para vencer a Venezuela - Esportes - Santa

Eliminatórias11/10/2016 | 07h06Atualizada em 11/10/2016 | 13h32

Sem Neymar, Seleção aposta em força do conjunto para vencer a Venezuela

Tite escolheu Willian, do Chelsea, para o lugar do jogador do Barcelona

Sem Neymar, Seleção aposta em força do conjunto para vencer a Venezuela Pedro Martins/MoWA Press,Divulgação
Foto: Pedro Martins / MoWA Press,Divulgação

Em apenas três jogos com Tite, o Brasil parece ter abandonado a dependência patológica de Neymar em nome de uma estrutura de time bem azeitada, com saudável protagonismo de sua estrela. A evolução coletiva da Seleção enfrentará um teste e tanto nesta noite, às 21h30min, quando o camisa 10 estará ausente pela primeira vez desde que o novo comandante chegou.

O adversário não poderia ser mais adequado para atuar com o mais pesado dos desfalques. A Venezuela, que cresceu em Eliminatórias anteriores e chegou a beliscar uma classificação, retornou ao patamar histórico de saco de pancadas do continente. Está na última colocação. Para bater o rival, o Brasil, em teoria, não precisa de seu jogador mais talentoso, suspenso pelo segundo cartão amarelo recebido diante da Bolívia.

Leia mais
Venezuela e Brasil tem expectativa de 42 mil torcedores
Tostão pede cautela com Tite na Seleção: "Euforia descabida"
Confira a tabela das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo

A força do conjunto, tão elogiada na bem-sucedida arrancada de Tite, tem sido turbinada pela preocupação do treinador de dispor as peças exatamente nas posições que ocupam em seus clubes. A escolha do substituto de Neymar parece ter passado por esse critério.

Tite poderia colocar Roberto Firmino, premiando-o pelos minutos de bom futebol diante da Bolívia, mas teria de deslocar mais jogadores de função. Recuaria Gabriel Jesus e o colocaria pela esquerda, além de não aproveitar a chance de devolver Philippe Coutinho à região do campo em que brilha no Liverpool — e que não ocupa na Seleção pelo simples motivo de que é a mesma de Neymar. A reposição, com a entrada de Willian, conservaria o posicionamento mais confortável para os jogadores.

Ainda que venha de atuações apagadas com a camisa amarela, o meia do Chelsea pode ocupar o lado direito do meio-campo, exatamente como faz na Inglaterra. Paulinho, substituído com brilho por Giuliano em seu jogo de suspensão, retorna. Embora Tite tenha testado uma alternativa tática, Coutinho deve ser o Neymar da vez, saíndo da esquerda para o meio a dribles e abrindo espaço para seus bons chutes de média distância.

Em vez do improviso, as tabelas. No lugar da ousadia, o método. A Seleção já dava sinais de que seguia por esse caminho antes de ter de jogar sem seu único craque. Agora, desfalcada, terá a chance de provar que, com Tite, é muito mais do que um ajuntamento de coadjuvantes à espera de um momento de genialidade de Neymar.

ELIMINATÓRIAS, 10ª RODADA, 11/10/2016

VENEZUELA
Hernández; Rosales, Ángel, Velázquez e Villanueva; Rincón, Figuera, Peñaranda e Añor; Martínez e Rondón.
Técnico – Rafael Dudamel

BRASIL
Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Fernandinho; Paulinho, Renato Augusto, William e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus.
Técnico – Tite

Início: 21h30min
Local: Estádio Metropolitano, em Mérida (Venezuela)
Arbitragem: Victor Carrillo, auxiliado por Jonny Bossio e Raul Lopez Cruz (trio peruano)
O jogo no ar: a Rádio Gaúcha inicia a transmissão às 21h. A RBS TV transmite a partida ao vivo. Acompanhe a narração minuto a minuto em zerohora.com.br/esportes


 
 

Siga SantaEsporte no Twitter

  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteChapecó prepara velório coletivo de vítimas de acidente aéreo https://t.co/5LYHJ9eHmW #LeiaNoSantahá 4 diasRetweet
  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteIdentificação das vítimas da queda do avião será por meio de impressões digitais https://t.co/eqQU3nPA5l #LeiaNoSantahá 4 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros