Colombianos renovam os votos de solidariedade com a Chapecoense - Esportes - Santa

Versão mobile

Verdão29/12/2016 | 04h11Atualizada em 29/12/2016 | 10h11

Colombianos renovam os votos de solidariedade com a Chapecoense

Um mês depois do acidente, cidade ainda respira a paixão pela Chape

Colombianos renovam os votos de solidariedade com a Chapecoense Diorgenes Pandini/Agencia RBS
Desde o acidente, povo colombiano abraçou a Chapecoense e mostrou toda a sua solidariedade Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

Irmãos dentro e fora de campo. Os colombianos, um mês depois, não esqueceram os votos de caminhar para sempre ao lado de "la Chape". O povo antioquenho virou também chapecoense dentro de seu coração. E os laços de dor que os uniram, se depender deles, não se romperão jamais.

O jornalista Daniel Cardona, do jornal El Colombiano, dá a dimensão:

– As primeiras semanas foram de luto em Medellín, porém há um sentimento de vínculo que só cresce em relação ao povo de Chapecó. A torcida do Atlético Nacional passou a acompanhar todo o noticiário que diz respeito à Chapecoense nas redes sociais, acessam as informações tanto quanto de seu time, consomem, publicam e replicam. Há um sentimento de irmandade crescente – informa o repórter.

O diretor Victor Marulando Marulanda, do Atletico, vai além no quesito conexão entre povos e clubes:

– Mesmo um mês depois do ocorrido, diante da magnitude de tudo que se passou, ainda há muita dor no coração, é uma reação genuína de nossa torcida, de nosso povo, algo que brotou na alma e que não vai se apagar.

O dirigente reforça:

– Vamos buscar um diálogo futuro com a Chapecoense, ações que possam estreitar as relações e criar vínculos fortes. É o que o povo quer, as pessoas em Medellín usam no dia a dia bonés, camisas e adereços relacionados à Chapecoense.

Um recado forte, de que a relação entre Chapecó e Medellín tem um futuro longo, vem do tenente Marlon Lengua, que resgatou o zagueiro Neto:

– Tenho um agradecimento infinito ao povo de Chapecó por me fazer sentir como um herói, quando o que fiz foi simplesmente cumprir meu dever. As recordações estão latentes como se tivesse acontecido ontem.

A magia dos boleiros de Envigado e o coração enorme dos cidadãos colombianos são uma força que os índios guerreiros da Chape podem contar na sua reconstrução. Definitivamente, a grande Chapecó não tem mais os 626 km² originais. À região podem ser acrescidos os 1.152 km² de Medellín.

Leia mais:

Investigação aponta que avião tinha sobrecarga e plano de voo irregular

Sobrevivente fala que clima era feliz dentro do avião e não houve desespero

"Em primeiro lugar estão as famílias", avalia o  presidente da Chape

Time da Chapecoense conhece rivais na Libertadores de 2017

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros