Chapecoense bate o Figueira no Scarpelli e fica mais perto do título do returno do Catarinense - Esportes - Santa

2 a 0 01/04/2017 | 18h26Atualizada em 01/04/2017 | 19h14

Chapecoense bate o Figueira no Scarpelli e fica mais perto do título do returno do Catarinense

Time do Oeste fez os dois gols da partida na segunda etapa 

Chapecoense bate o Figueira no Scarpelli e fica mais perto do título do returno do Catarinense Leonardo Munhoz/Agencia RBS
Time do Oeste fez os dois gols da partida na segunda etapa Foto: Leonardo Munhoz / Agencia RBS

A Chapecoense deu um grande passo rumo ao título do returno do Campeonato Catarinense na tarde deste sábado em Florianópolis. Mesmo sem jogar um grande futebol, a equipe do Oeste bateu o Figueirense por 2 a 0, no estádio Orlando Scarpelli, e abriu momentaneamente seis pontos de vantagem sobre o Joinville, que joga no domingo diante do Tubarão. O resultado também afunda o time da Capital na tabela, que segue com chances de cair para a segunda divisão. 

O jogo não teve grandes emoções até os 33 minutos do segundo tempo, quando a Chapecoense abriu o placar. O time da casa até teve boas chances, porém por duas vezes o atacante Bill não conseguiu marcar, cara a cara com o goleiro Arthur Moraes. Na primeira delas, ainda no tempo inicial, o zagueiro Nathan pisou na bola e a deixou à mercê do alvinegro, que tentou uma cavadinha, facilmente defendida pelo arqueiro da Chape.

Antes disso, no começo do primeiro tempo, a Chapecoense ameaçou algumas vezes com jogadas aéreas, porém o goleiro Luiz Carlos fez boas defesas. Em um dos lances, o zagueiro Grolli por muito pouco não marcou após desvio de Wellington Paulista. Apesar disso, o time do Oeste errava muitos passes e dava espaço para o Figueira, que não aproveitava devido à falta de criatividade. Por fim, o jogo foi mesmo para o intervalo com 0 a 0 no placar.

 A segunda etapa começou dando pinta de que a partida poderia terminar a favor do time da casa. Chances foram criadas, porém os atacantes não conseguiam empurrar para as redes. Em meio a isso, a torcida ia perdendo a paciência nas arquibancadas. O principal alvo foi o atacante Bill, após ele desperdiçar nova chance frente a frente com o goleiro aos 30 minutos, chutando para fora. Em descuido na saída de bola do Verdão, o jovem João Pedro serviu o atacante, que tirou demais de Arthur Moraes. A bola saiu rente à trave esquerda.

O castigo veio logo em seguida. Aos 33 minutos, o lateral do Verdão João Pedro entrou com tudo na área e chutou no travessão. No rebote, Tulio de Melo tentou de cabeça, mas a bola sobrou para Rossi, que empurrou para as redes de bicicleta. O gol desestabilizou completamente o Figueira. Minutos depois, Arthur Kaike entrou tabelando na área e foi derrubado. O pênalti foi cobrado por Tulio de Melo, mas Luiz Carlos defendeu. No entanto, não deu nem tempo de comemorar. No escanteio em seguida, a bola chegou para Luiz Antônio, que chutou de fora de área e marcou um golaço aos 41 minutos. A bola ainda desviu em Índio antes de entrar. Foi a pá de cal no alvinegro, que não teve mais forças para reagir. 

A partida terminou com festa no setor vistante e muitos gritos de "Vamos, vamos, Chape". Na saída do gramado, o meia Luiz Antônio destacou a alegria de voltar a marcar um gol e a importância do resultado:

— Muito importante abrir esses seis pontos, mesmo que temporariamente. Agora a gente tem uma gordurinha a mais. Esse segundo turno é importante para a gente.

Do lado alvinegro, o goleiro Luiz Carlos, que substituiu o machucado Thiago Rodrigues, disse que o time não pode abaixar a cabeça.

— A gente até fez um bom jogo, teve oportunidades. Mas o futebol é assim: detalhes resolvem os jogos. Precisamos continuar o trabalho. Sei que está difícil, mas tem que manter a cabeça em pé — afirmou.

O próximo jogo do Figueira é o clássico contra o Avaí, no próximo sábado, às 16h. Já a Chape vai a Blumenau enfrentar o Metropolitano. Antes, encara o Atlético Nacional em casa no primeiro jogo da final da Recopa Sul-Americana. 

Veja como foi o jogo, minuto a minuto

Ficha técnica

Figueirense (0): Luiz Carlos, Dudu, Marquinhos, Bruno Alves, Marlon; Helder (Gabriel Esteves), Juliano (João Pedro), Patrick, Ermel (Índio); Anderson Aquino e Bill. Técnico: Márcio Goiano

Chapecoense (2): Arthur Moraes, Apodi, Grolli, Nathan, Reinaldo; Girotto, luiz Antônio, Dodô (João Pedro); Rossi (Osman), Wellington Paulista (Tulio de Melo) e Arthur Kaike. Técnico: Vagner Mancini

Gols: Rossi (33/2T) e Luiz Antônio (41/2T)

Cartões amarelos: Luiz Antônio (C); Patrick (F) e Marlon (F)

Público total: 3.084 torcedores

Renda: R$ 55.574,00

Arbitragem: Rodrigo D´Alonso Ferreira, auxiliado por Carlos Berkenbrock e José Larroid

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis


 
 
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros