Valdir Espinosa entra com ação contra o Metropolitano por direitos trabalhistas - Esportes - Santa

Versão mobile

Augusto Ittner10/04/2017 | 16h55

Valdir Espinosa entra com ação contra o Metropolitano por direitos trabalhistas

No processo, ex-técnico ainda alega estar em "delicada situação financeira"

Valdir Espinosa entra com ação contra o Metropolitano por direitos trabalhistas Sidnei Batisa/Divulgação
Espinosa esteve à frente do Metrô entre janeiro e fevereiro do ano passado. Foto: Sidnei Batisa / Divulgação



Atual coordenador técnico do Grêmio e ex-treinador do Metropolitano, Valdir Espinosa entrou com uma ação contra o Verdão de Blumenau. Com uma breve passagem pelo clube entre janeiro e fevereiro do ano passado, Espinosa pede direitos trabalhistas por, segundo ele, ter sido demitido sem justa causa.

O técnico ainda solicita que o Metrô arque com os custos do processo por “estar em delicada situação financeira” '— conforme o documento. Esse é apenas mais um caso entre dezenas que fazem parte do dia a dia do departamento jurídico do Metropolitano. Conforme a atual diretoria, o acumulado de dívidas trabalhistas que serão gradativamente quitadas gira em torno de R$ 1,4 milhão.

Em resposta assinada pelo advogado Theotônio Chermont, a assessoria de Espinosa afirma que "não há motivo para alarde" e que o clube "não é um devedor, e sim mau pagador". Sobre o pedido para que o Metrô arque com os custos do processo, Chermont destaca que é "algo protocolar" e "não significa que ele está mal de vida".

CONFIRA A NOTA COMPLETA:

"Essa questão citada de ‘estar em delicada situação financeira’ é a gratuidade de justiça, é protocolar, são termos jurídicos, não quer dizer que ele está mal de vida. É uma mera alegação de que a pessoa vai ficar com dificuldade de arcar com os custos. Devido à ação, ele teve que contratar um advogado. Pela ação ter sido proposta numa cidade onde ele não mora mais, ele terá que se deslocar pelo menos umas duas vezes até Blumenau, e tendo que arcar também com os custos do advogado. Ainda tem as despesas decorrentes de um processo judicial, que não é gratuito. O processo judicial implica em muitos custos. A gratuidade de justiça é justamente para compensar os transtornos financeiros que o Metropolitano obrigou ele a ter. E ele tem direito ao que está pedindo, a lei dá direito a ele de pedir. Não há motivo algum para alarde. O clube não é um devedor, e sim um mau pagador. Fez um acordo e não arcou, e demitiu sem justa causa. Ele só entrou com essa ação porque foi obrigado. Ele não está pleiteando nada que é indevido e não está faltando com a verdade."

JORNAL DE SANTA CATARINA

 
 

Siga SantaEsporte no Twitter

  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteMéxico e Rússia se enfrentam por vaga nas semifinais https://t.co/m2ic6mThYU #LeiaNoSantahá 30 minutosRetweet
  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteRed Bull domina treinos livres antes do GP do Azerbaijão https://t.co/1V86Ml6Atj #LeiaNoSantahá 50 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros