"Projeção é a permanência", diz diretor de esportes do Avaí sobre a Série A do Brasileirão - Esportes - Santa

PLANEJAMENTO09/05/2017 | 07h01Atualizada em 09/05/2017 | 07h03

"Projeção é a permanência", diz diretor de esportes do Avaí sobre a Série A do Brasileirão

Grupo se reapresenta na tarde desta terça e já tem reforços confirmados

"Projeção é a permanência", diz diretor de esportes do Avaí sobre a Série A do Brasileirão Cristiano Estrela/Agencia RBS
Avaí mantém a base do elenco que conquistou o acesso à elite do futebol nacional Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

A perda do título do Campeonato Catarinense é recente, mas também é passado. A partir desta semana o Avaí vira a chave para a competição mais importante do ano, seja pelos termos financeiros que ele proporciona como o peso que tem: o Brasileirão da Série A. 

O grupo azurra se reapresenta na tarde desta terça, após a segunda-feira de folga, com o objetivo de largar com três pontos no primeiro jogo, domingo, às 16h, na Ressacada, contra o Vitória. Uma das peças fundamentais na virada que o Avaí deu em 2016, quando demitiu o técnico Silas e criou o "fato novo" ao contratar Claudinei Oliveira, o gente boa Joceli dos Santos, frasista nato, não esconde qual o principal objetivo do clube na elite do futebol brasileiro.

—A projeção é a permanência, fera. Isso aí já vem desde que a gente subiu. Planejamos no início do ano estar na final do Catarinense, conseguimos, mas infelizmente não veio o título. Mostramos que tínhamos condição de chegar, e agora é disputar a Série A pensando em ficar — contou por telefone.

E nesta terça os torcedores vão passar a conhecer as caras novas que vão tentar ajudar o Leão a ficar na elite. Além dos que ficam, por hora ninguém será liberado, estão confirmadas as chegadas do lateral Diego Tavares, dos zagueiro Airton e Rodrigo Sam, além do volante Wellington Simião. Os meias Alex, ex-Inter, e Maxí Rodrigúez, do Grêmio, também são cotados para defender o Leão.

E para chegar ao clube, além da boa condição física, os jogadores têm o seu histórico vasculhado pelo departamento de futebol, até porque errar uma contratação tem um peso enorme nos cofres do clube.

—O histórico de lesões é fundamental a gente fazer. Imagina trazer um atleta e ele ficar dois, três meses parado, o custo-benefício vai ser terrível. E a gente não vê só o atleta dentro de campo, mas fora também — explica Joceli.

Os reforços que chegam, todos eles, contam com o aval do técnico Claudinei Oliveira. 

— Todas as contratações são feitas em cima do pedido do treinador, nem eu e nem o presidente fazemos "contratações pra nós". Contratar e botar lá no meio, não. 

O peso da perda do Catarinense, segundo Joceli dos Santos, não vai ser grande para o grupo de jogadores, principalmente, segundo ele, por conta do desempenho dentro de campo na Arena Condá. E isso também porque o time que terminou 2016, com o acesso à Série A, é praticamente o mesmo, com apenas Júnior Dutra, Denilson e Leandro Silva como novidades. 

—O nosso grupo é muito bom de trabalhar, muito fechado. Vai ser uma semana belíssima. Vão chegar mais uns meninos pra frente fazer a essa grande campanha.

Discreto ao falar de si, e atuando nas redes sociais, Joceli preferiu não avaliar o trabalho como diretor de esportes, mas soltou uma das suas pérolas.

— Quem muito fala dá bom dia para a vala.

 
 

Siga SantaEsporte no Twitter

  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteConfira as mudanças no trânsito em Florianópolis neste domingo para o Ironman https://t.co/ueD2ZPRKtd #LeiaNoSantahá 18 horas Retweet
  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteNa estreia em casa na Série D, Brusque vence o XV de Piracicaba https://t.co/LOjVXp4imD #LeiaNoSantahá 20 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros