Superclássico Brasil-Argentina, a aposta econômica de Melbourne - Esportes - Santa

Versão mobile

Melbourne08/06/2017 | 18h19

Superclássico Brasil-Argentina, a aposta econômica de Melbourne

O Superclássico entre Brasil e Argentina, nesta sexta-feira, vai ser disputado na Austrália para aproximadamente 100.000 torcedores em Melbourne, o que vai dar uma injeção na economia da cidade.

Apesar de Neymar não estar no time titular, o companheiro de Barcelona Lionel Messi vai participar pelo lado argentino.

Depois de Pequim, Nova Jersey, Doha e Londres, chegou a vez de Melbourne sediar o clássico sul-americano fora do continente.

A presença das estrelas de ambas seleções valorizou a revenda dos ingressos, que chegam a custar mais de 450 dólares nesta quinta-feira.

Embora os valores cobrados pelas federações não tenham sido revelados, o encontro vai gerar quase 40 milhões de dólares para a economia local, segundo estimativa das autoridades da cidade.

Para Damien de Bohun, gerente geral de Grandes Eventos do estado de Vitoria, receber o Superclássico vai colocar a cidade no mapa futebolístico.

- Investimento no futuro -

"Ter um Brasil e Argentina em Melbourne vai abrir os olhos e as orelhas de outros clubes e países para jogarem aqui", indicou Bohun.

"Alguns países que jogarão o Mundial no ano que vem já demonstraram interesse em jogar na nossa cidade. O horizonte parece bom", acrescentou.

Os organizados apresentaram o jogo de sexta como "a melhor coleção de jogadores do mundo, em solo australiano".

No entanto, quando o amistoso foi anunciado, o antigo treinador da Argentina Edgardo Bauza deixou claro que a partida não tinha deixado os jogadores entusiasmados por dois motivos: distância longa para uma viagem e rival de alto nível.

"Como já é na pós temporada, os jogadores não querem saber de nada. Querem ir de férias, ir pra praia... E eu preciso dizer para eles que precisam ir para a Austrália", reclamou Bauza em entrevista em março.

- 100.000 torcedores -

A longa viagem vem em delicado momento para a Argentina, que está na quinta posição das eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia, no ano que vem. Faltam quatro jogos para buscar a vaga.

Vai ser o primeiro jogo sob o comando do argentino Jorge Sampaoli, terceiro treinador a assumir a campanha de classificação para o próximo Mundial

Segundo Bohun, jogar no estádio Melbourne Cricket Ground é um atrativo, considerado um dos lugares esportivos mais importantes do mundo.

"Brasil e Argentina entenderam a reputação do espaço, que pode atrair 100.000 torcedores. É muito atrativo jogar assim", afirmou.

"Melbourne é uma cidade de grandes eventos, que recebe a Fórmula 1, o Aberto da Austrália de Tênis e a Melbourne Cup de corrida de cavalos", acrescentou.

"Um grande clássico chega como algo natural", contou Bohun, indicando que as delegações ficaram impressionadas quando visitaram a cidade no ano passado.

"Quando inspecionaram o estádio, o descreveram como colossal, como um coliseu", falou o gerente.

"Para jogadores como Messi, representar seu país é algo que estão apaixonadamente comprometidos, sem falar na realidade comercial do evento", comentou.

Nos últimos anos, Melboune recebeu jogos de Real Madrid, Manchester City, Liverpool e Roma, quase sempre com o estádio lotado com 100.000 pessoas.

* AFP

 
 

Siga SantaEsporte no Twitter

  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteDurant boicotará visita do Golden State à Casa Branca https://t.co/jMk1KAWlBs #LeiaNoSantahá 4 horas Retweet
  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteVitória contra o São Bento colocará o JEC no G-4 após 11 rodadas https://t.co/Am7OBlZmIx #LeiaNoSantahá 5 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros