Técnico da Chapecoense ressalta apoio após derrota para o Sport - Esportes - Santa

Versão mobile

Série A17/07/2017 | 08h33Atualizada em 17/07/2017 | 13h31

Técnico da Chapecoense ressalta apoio após derrota para o Sport

Torcedores foram recepcionar a equipe no aeroporto

Técnico da Chapecoense ressalta apoio após derrota para o Sport Sirli Freitas/Chapecoense
Eutrópio destacou apoio da torcida no retorno do time a Chapecó Foto: Sirli Freitas / Chapecoense

Depois de quase dois anos sem saber o que é estar na zona de rebaixamento, a Chapecoense corre o risco de voltar a frequentar o Z-4 do Campeonato Brasileiro. Para evitar isso, o time não pode pensar em perder para o São Paulo, neste domingo, às 16h, na Arena Condá.

A recepção que a torcida da Chapecoense fez ao time no Aeroporto Serafim Enoss Bertaso, na quinta-feira à noite, após a derrota por 3 a 0 para o Sport, foi um dos fatores que estimulou o grupo para vencer o São Paulo, segundo técnico Vinícius Eutrópio, e encerrar uma série de sete jogos sem vencer, sendo seis pelo Brasileirão.

— É uma simbologia grande, foi citado na nossa chegada aqui em Chapecó depois do jogo contra o Sport que o vencedor é aquele que sabe ter postura e ter superação no momento difícil, isso partiu da cidade, partiu da torcida no momento em que fomos recebidos com gritos de apoio na chegada no aeroporto. — disse Eutrópio.

O técnico falou que durante a partida o torcedor também deu seu apoio e isso ajudou a superar a má fase do time e a pressão por resultado. Vinícius Eutrópio afirmou que ainda no vestiário após a derrota em Pernambuco, antes da oração, ele já começou a preparar psicologicamente a equipe para o confronto contra o São Paulo. Como tinha quatro desfalques entre eles os dois atacantes – Arthur e Wellington Paulista – o treinador afirmou que optou por jogadores experientes como os meias Seijas e Luiz Antônio, jogando mais adiantados, além da entrada do volante Moisés Ribeiro, utilizando apenas um atacante, o jovem Perotti.

O treinador destacou que a Chapecoense vinha jogando com muita velocidade mas com pouca posse de bola. Outro problema citado pelo treinador era o excessivo número de gols sofridos.

— A ênfase maior era no número de gols sofridos, mas a partir de agora vamos trabalhar também outros aspectos — afirmou.

Antes do jogo contra o São Paulo fazia onze jogos que a Chapecoense não saia de campo sem levar gol. A última vez que isso tinha acontecido foi na quarta rodada do Campeonato Brasileiro, quando vendeu o Cruzeiro por 2 a 0, no Mineirão.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense
Confira a tabela da Série A do Brasileirão

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros