Blumenauense quer se tornar o homem mais resistente do mundo  - Esportes - Santa

Versão mobile

No limite12/10/2017 | 09h30Atualizada em 12/10/2017 | 13h16

Blumenauense quer se tornar o homem mais resistente do mundo 

Daniel de Oliveira embarca nesta quinta-feira para o México, onde quer se tornar o homem mais resistente do mundo

Blumenauense quer se tornar o homem mais resistente do mundo  Lucas Correia/Jornal de Santa Catarina
Para conquistar o objetivo, Daniel confia em um bom desempenho na natação e espera completar a prova em menos de oito dias Foto: Lucas Correia / Jornal de Santa Catarina

Suas definições de “desafio” foram atualizadas por Daniel de Oliveira. Conhecido como o homem que nada no rio Itajaí-Açu e encara as águas barrentas e turvas daquele que nos abastece, o triatleta decidiu zerar a vida, digamos assim. Depois de vencer o Quintuple Iron em 2016 (competição que equivale a cinco Ironman), ele quis dar um passo além. Ou melhor – com perdão do trocadilho –, milhares de passos, braçadas e pedaladas a mais. O objetivo é claro: tornar-se, ainda neste ano, o homem mais resistente de todo o planeta.

Sabe quando você vai correr e estabelece uma meta? Talvez dois quilômetros, três, cinco ou até 10 para os mais experientes. Pois é. Daniel coloca tudo no chinelo, mas do seu jeito, é claro. Nesta quinta-feira o blumenauense embarca para León, no México, onde disputará a partir de domingo o Decaultratri, competição cujo próprio nome resume a insanidade que virá pela frente. Ele tentará percorrer todo o percurso que é megalomaníaco e diz respeito a 10 Ironman: pedalar 1,8 mil quilômetros (como ir de Blumenau até São Miguel do Oeste, voltar, e ir até o Extremo Oeste novamente), correr 422 quilômetros (como ir a Imbituba e voltar, saindo da Rua XV de Novembro) e nadar 38 quilômetros (consegue imaginar você dando braçadas do comecinho da Nova Rússia até a Vila Itoupava?). Ah, detalhe importante. Tudo isso durante menos de oito dias e com uma ou outra parada apenas para se alimentar, fazer necessidades e descansar. Ufa!

Daniel é o único brasileiro em meio a outros nove concorrentes – entre norte-americanos, britânicos, francês, italiano, esloveno e canadense – e ostenta o status de favorito para figurar no lugar mais alto do pódio. Ele vai sozinho nesta quinta-feira pela manhã ao território mexicano e terá apenas o staff da prova como apoio. No mais, é ele por ele. Nada além. Mesmo assim, a confiança é grande pelo equipamento que o blumenauense terá à disposição – incluindo uma bicicleta tão, mas tão cara, que nem o próprio atleta quis contar o preço.

 – Vou ser agressivo e quero tomar frente nesse momento, liderar a prova e criar uma distância de segurança – revela Daniel.

 – Me preparei para o calor, para o frio e para as mudanças de temperatura por lá. Para se ter ideia de madrugada faz 7 ºC e à tarde, 37 ºC. O corpo sofre com isso, compromete a estratégia e dessa vez eu já sei como me comportar – complementa. 

 Atleta Daniel de Oliveira participará de prova de Decaultratri
Foto: Lucas Correia / Jornal de Santa Catarina

Alimentação será um dos  pontos-chave na prova

Para Daniel de Oliveira, o pós-alimentação será o oposto do que muitos fazem após o churrasco de domingo. Sabe aquela leseira depois do almoço? Aquele soninho? Aquela alcalose pós-prandial? A soneca? Esqueça. É justamente na ingestão de alimentos hipercalóricos que o atleta terá energia para continuar a prova. E é aí que está outra parte bizarra da história. Sem condições de tomar suplemento – já que ele teria de ingerir litros e litros, o que traz como consequência um volume considerável de xixi –, ele precisa de uma segunda opção para não precisar urinar a todo o momento. Na verdade, mais parece a alegria de uma criança de oito anos: comer besteiras.

Antes de pegar o avião para o México, com o objetivo de engordar, um dos pratos prediletos de Daniel era macarronada com bolacha recheada. Sim, você leu certo. Um com o outro, para a loucura dos chefs. Durante a prova, essa alimentação será composta por tiras pomposas de bacon, hambúrgueres, achocolatados, pizza, sorvete, bolo. Tudo que possa servir de combustível aos atletas. Até tomar cerveja ele vai!

:: Loucura? Daniela de Oliveira, o atleta blumenauense que se nada no Rio Itajaí-Açu

– Porque serve até como relaxante muscular, além de fornecer importantes calorias. Vou precisar comer basicamente tudo que os organizadores do evento mandarem – relata.

 E as dores? As cãimbras? O cansaço? O que fazer? Para Daniel, ignorar:

 – Será uma jornada longa e com certeza se manter bem do começo ao fim vai definir a prova. Sentir a dor é inevitável, mas sofrer por ela é uma questão de escolha.

 Se terminar a prova em menos de oito dias, Daniel de Oliveira bate o recorde mundial e se transforma no homem mais resistente do mundo. Um super-homem? Talvez.

Siga SantaEsporte no Twitter

  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteConte pede a Mourinho que para de falar do Chelsea https://t.co/FNBk7cV919 #LeiaNoSantahá 4 horas Retweet
  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteBlumenau vence Joinville na prorrogação na primeira partida da semifinal do Estadual de Basquete https://t.co/4dJhX7e3rf #LeiaNoSantahá 7 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros