Augusto Ittner: Blumenau e Metrô vão unir forças para derrubar restrição no Sesi - Esportes - Santa

Versão mobile

Futebol06/11/2017 | 09h28Atualizada em 06/11/2017 | 09h28

Augusto Ittner: Blumenau e Metrô vão unir forças para derrubar restrição no Sesi

Hoje o estádio não pode receber torcedores de times visitantes

Augusto Ittner: Blumenau e Metrô vão unir forças para derrubar restrição no Sesi Artur Moser/Agencia RBS
PM quer que o Sesi construa uma entrada diferente para a torcida visitante. Foto: Artur Moser / Agencia RBS

Antecipar o início da Série B do Catarinense para maio é bom para os clubes, para o torcedor, mas traz consigo um problema específico de Blumenau e que precisa ser resolvido o quanto antes: a questão Sesi. Com uma restrição apontada pela Polícia Militar no laudo, o estádio não pode receber torcedores visitantes, o que cria um potencial problema para o ano que vem. Com dois clássicos municipais marcados para a Segunda Divisão do Estadual, a chance de que eles sejam com torcida única é grande.

Para evitar que isso ocorra, os presidentes do Metropolitano, Saulo Raitz, e do Blumenau Esporte Clube, Wanderlei Laureth, irão unir forças neste mês. A ideia é marcar conversas com PM, diretorias dos times e do Sesi e até mesmo classe política logo após a reunião do conselho técnico para mostrar a necessidade de se resolver o problema. Não há um alinhamento oficial entre os clubes, mas ambos admitem a necessidade de unificarem o tom quanto a esse assunto.

Vale lembrar que essa restrição apontada pelo comando estadual da PM em Santa Catarina é por conta do local onde entram as torcidas local e visitante – ambas acessam o estádio pelo mesmo portão. As autoridades querem que o Sesi construa uma entrada à parte, próximo ao ponto de ônibus da Rua Itajaí, para evitar qualquer possível contato. Isso seria caro e como, convenhamos, o centro esportivo que fica no Vorstadt está longe de depender do futebol para se manter, essa reforma está em segundo plano.

A chance de que a liberação total do Estádio do Sesi ocorra, portanto, passa por duas possibilidades: ou alguém banca a obra e acata o pedido da PM, ou será preciso convencer os órgãos responsáveis de que para uma competição secundária como a Série B do Catarinense essa restrição é desnecessária. 

No fim das contas, será preciso que os clubes preparem bons argumentos.

Siga SantaEsporte no Twitter

  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteRobinho é condenado a nove anos de prisão por estupro na Itália https://t.co/QQkPQYe6rL #LeiaNoSantahá 7 minutosRetweet
  • SantaEsporte

    SantaEsporte

    SantaEsporteMarquinhos espera desfecho no fim de ano para saber se fica no Figueirense https://t.co/MWsyPnc8sy #LeiaNoSantahá 2 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca