"Coerência no meu trabalho é fundamental", frisa técnico do Figueirense - Esportes - Santa

Versão mobile

Série B03/11/2017 | 16h32Atualizada em 03/11/2017 | 16h32

"Coerência no meu trabalho é fundamental", frisa técnico do Figueirense

Milton Cruz tem apenas uma dúvida no ataque, entre André Luís e Henan

"Coerência no meu trabalho é fundamental", frisa técnico do Figueirense Luiz Henrique / Figueirense/Figueirense
Técnico Milton Cruz avalia trabalho da semana como "muito bom" e confia na dupla de zaga Naylhor e Ferreira Foto: Luiz Henrique / Figueirense / Figueirense
DC Esportes
DC Esportes

O Figueirense que entra em campo neste sábado, contra o Brasil-RS, segue uma base das últimas partidas do time na Série B do Campeonato Brasileiro. A única dúvida é no ataque, entre André Luís e Henan. O primeiro chegou há pouco tempo na casa alvinegra e tem agradado o comandante, enquanto o segundo é o artilheiro da equipe na competição, com 12 gols, mas retornou de lesão na rodada passada. Na zaga, Ferreira fará dupla com Haylhor. 

— A coerência no meu trabalho é fundamental. Se o time jogou bem, ganhou o jogo, a permanência da equipe e deixar jogar. O Marco (Antônio) soube esperar, é experiente, conheço ele, conversei com ele. O João (Paulo) machucou e a oportunidade é novamente dele. É um cara que organiza o time, como o João Paulo, com o Zé Antônio na frente da zaga dando a proteção. — ressalta o treinador, na coletiva de imprensa desta sexta-feira. 

Milton avaliou o trabalho da semana como "muito bom", mesmo com as perdas de João Paulo e Leandro Almeida por lesão. Mesmo que os zagueiros Naylhor e Ferreira nunca tenham atuado juntos em jogos oficiais, apenas nos treinamentos, o técnico disse que confia nos dois para enfrentar o Brasil-RS, às 16h30min deste sábado, no Orlando Scarpelli. 

Quanto ao ataque, Milton revelou que ainda pretende conversar com Henan antes da partida. 

— Neste jogo, quando ele (Henan) entrou, o time não estava defendendo mais, o André estava cansado, pediu para sair. Colocamos ele para dar uma olhada e pegar ritmo de jogo. São as duas coisas, ele precisa de um tempo maior, quem sabe até entrar jogando. Sei que é difícil entrar no jogo e manter o ritmo dos outros jogadores que já estão jogando. É um jogador que muito nos ajudou, vice-artilheiro do campeonato. O André vem nos agradando por sua postura em campo, é um jogador inteligente, a bola para nele na frente e pode ajudar na bola aérea — observa Milton. 

Confira a tabela da Série B
Leia mais notícias sobre o
Figueirense


Jornal de Santa Catarina
Busca