"Temos que reeditar nossas boas atuações fora de casa", projeta o técnico do Avaí - Esportes - Santa

Versão mobile

Série A09/11/2017 | 07h00Atualizada em 09/11/2017 | 07h01

"Temos que reeditar nossas boas atuações fora de casa", projeta o técnico do Avaí

Claudinei mantém esperança e relembra desempenhos que levaram o Leão a surpreender adversários longe da Ressacada

"Temos que reeditar nossas boas atuações fora de casa", projeta o técnico do Avaí Leo Munhoz/Diário Catarinense
Claudinei Oliveira também foi questionado sobre as substituições de Marquinhos e Maicon na derrota para o Bahia Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense

O tropeço na Ressacada para o Bahia, adversário direto na luta contra o rebaixamento, deixa o Avaí na obrigação de pontuar fora de casa para permanecer na Série A. No sábado, o time encara o líder Corinthians e, na visão do técnico Claudinei Oliveira, será preciso repetir as boas atuações diante de equipes da parte de cima da tabela. Na coletiva de imprensa após a derrota por 2 a 1 para o tricolor baiano, na noite desta quarta-feira, o treinador disse que o Leão iniciou bem o jogo, mas caiu de produção na parte final.   

— Acho que foi nosso melhor início de jogo nessa Série A, tivemos boas chances. Torcedores compraram a ideia e vieram juntos, fizemos o gol, depois sofremos o empate de falta. Mas depois tomamos o gol de empate na primeira vez que o Bahia chegou. Conversamos, deveríamos manter mesmo ritmo no segundo tempo. Achei que a equipe não tinha como encaixar a marcação, não trabalhava a bola como no primeiro tempo. Criamos mais que o adversário, infelizmente sofremos o gol numa ação dele (Edigar Junio), méritos do jogador. Não jogamos pra perder, mas perdemos, fazer o quê. Quem faz mais gols vence. Temos que seguir trabalhando, equipe teve evolução. Resultado não veio. Hoje se tivéssemos vencido teríamos saído da zona. Vamos buscar, estamos acreditando. Temos dois jogos dificílimos fora de casa, temos que reeditar nossas boas atuações fora de casa — analisou Claudinei, salientando que a equipe buscou pelo menos o empate até os minutos finais de partida. 

Marquinhos diz que cabe ao Avaí assimilar o golpe e trabalhar: "Difícil, mas não impossível" 

Neste campeonato, o Avaí voltou com os três pontos de jogos considerados difíceis, como contra Grêmio e Botafogo. Diante do Corinthians, na Ressacada, no turno, um empate que poderia ter se tornado vitória, resultado que veio depois diante do Cruzeiro. Timão e Raposa são, respectivamente, os próximos dois adversários do Leão. 

Sobre as substituições de Maicon e Marquinhos na derrota para o Bahia, Claudinei disse que o lateral pediu para sair e o meia foi por opção.  

— O Maicon pediu pra sair, ele estava bem no jogo. Pedi que avisasse quando não desse mais, fizemos a substituição. Ele não vinha jogando, sabia que não suportaria os 90 minutos. Acho que colocamos ele num bom momento, fez grande jogo, a gente sabe da qualidade competência dele, isso é indiscutível. Vamos ver como está se sentindo pra jogar já o próximo jogo. Marquinhos fez uma das melhores partidas dos últimos tempos. No meu entendimento a questão física estava comprometendo — respondeu o treinador.

Claudinei ainda admitiu que o momento é complicado, mas pediu serenidade e disse que o grupo segue o trabalho para manter o clube na elite nacional. 

Leia mais notícias sobre o Avaí
Acesse a tabela da
Série A do Brasileirão

Jornal de Santa Catarina
Busca