Além do troféu, título da Copa SC vale muito para Tubarão e Brusque neste domingo - Esportes - Santa

Versão mobile

Futebol catarinense02/12/2017 | 17h15Atualizada em 02/12/2017 | 17h15

Além do troféu, título da Copa SC vale muito para Tubarão e Brusque neste domingo

Time do Sul do Estado tem vantagem sobre o rival para conquistar o torneio

Além do troféu, título da Copa SC vale muito para Tubarão e Brusque neste domingo Arte DC/Arte DC
Foto: Arte DC / Arte DC
DC Esportes
DC Esportes

A ascensão do Tubarão na Copa SC, depois de começar a competição com uma derrota, pode ter como consequência um feito histórico. Após vencer o Brusque por 2 a 1 no último domingo, o Peixe decide em casa o título inédito. Além da taça, a partida deste domingo, às 17h, no Estádio Domingos Gonzales, vale uma vaga na Copa do Brasil do ano que vem, o que seria a primeira participação de um clube da cidade no torneio nacional.

Esta é a primeira vez que o Tubarão, fundado em 2005, participa da competição. Esse também pode ser o primeiro título disputado contra times da elite do Catarinense, o que valoriza ainda mais a conquista do clube, aponta o presidente Luiz Henrique Ribeiro. 

– Será um jogo muito difícil. O Brusque tem elenco, já tem uma história, isso conta muito. Ficou em quarto no Estadual, mas eu confio muito no nosso grupo. A gente mostrou nesse jogo em Brusque muita eficiência, e quer ser reconhecido por isso. O Brusque teve mais chances, mas o Tubarão acabou vencendo a partida, foi efetivo. Espero que aconteça o mesmo aqui – projeta.

A última Copa SC tinha sido realizada em 2013. Na edição deste ano, participaram quatro equipes: além dos dois finalistas, Joinville e Inter de Lages, que foram eliminados na primeira fase.

Visibilidade e sequência do trabalho para 2018

Depois de fazer uma boa campanha no Catarinense deste ano, o técnico Waguinho Dias deixou o clube e voltou três meses depois com a proposta de montar um elenco consistente que pudesse permanecer até o Estadual de 2018. A classificação para a Copa do Brasil pode reforçar o projeto.

No ano passado, por exemplo, os times que jogaram a primeira fase do torneio nacional receberam R$ 250 mil. A cada avanço, mais valores entraram nos cofres. Para este ano, a expectativa é que sejam pagos R$ 500 mil para quem participar da mesma fase, além da visibilidade de jogar um torneio nacional com transmissão pela TV a cabo.

– É uma grande oportunidade. Financeiramente, é muito vantajosa, porque cada fase é um valor financeiro. Para um clube pequeno, é excelente. Também gera um calendário completo para o clube, além do Catarinense, a Série D do Brasileiro, a Copa do Brasil. Essa vaga é importantíssima para o futuro do Tubarão – analisa.

Brusque tem problemas para jogo da volta

Se não bastasse ter que reverter a desvantagem do primeiro jogo, o Brusque ainda teve um série de problemas para a definição dos 11 titulares durante a semana. A começar pelas suspensões dos zagueiros Maurício – expulso – e Neguete – terceiro cartão amarelo –, sem contar problemas musculares que envolvem o lateral Ronaell e o atacante Edu, artilheiro da Copa Santa Catarina. Até sexta-feira, os dois seguiam como dúvidas para o técnico Picoli.

O treinador prega calma e diz que os jogadores não podem se desesperar com a situação adversa e a necessidade da vitória contra o Tubarão.

 – É final de ano, final de temporada, muitos atletas estão desgastados, e quando você tem o elenco reduzido, parece que tudo acontece de uma vez só. Isso é o futebol do jeito que ele é. Estou calmo, paciente, com a expectativa de não perder ninguém (por lesão). Temos que vencer o jogo, é fato. Não tem plano B. É ir lá e ganhar – sustenta Picoli.

 A maior preocupação do treinador é com a possibilidade de não poder contar com Ronaell, o que mudaria o esquema tático e – como consequência – tudo que foi trabalhado durante a semana. Mesmo assim, Picoli continua com seu jeito sóbrio e diz que na última partida de 2017 o segredo é não se deixar levar pela afobação:

 – Não gosto de exagerar, fazer oba-oba, até porque tenho muita munição e não posso sair por aí atirando para tudo quanto é lado. Temos que direcionar bem, definir a estratégia e trabalhar em cima disso – define.  

Brusque e Tubarão já se enfrentaram cinco vezes neste ano, com apenas uma vitória para a equipe do Vale do Itajaí – 1 a 0, no primeiro jogo do ano entre os times, pelo Catarinense. Foram três vitórias para do Peixe e um empate.

Confira outras notícias sobre esportes

Jornal de Santa Catarina
Busca