No jogo que vale permanência, raça de Alemão inspira o Avaí contra o Santos - Esportes - Santa

Versão mobile

Série A03/12/2017 | 06h42Atualizada em 03/12/2017 | 06h42

No jogo que vale permanência, raça de Alemão inspira o Avaí contra o Santos

Além de vencer, Leão precisa de outros dois resultados na última rodada do Brasileirão

No jogo que vale permanência, raça de Alemão inspira o Avaí contra o Santos Arte DC/Arte DC
Foto: Arte DC / Arte DC
João Lucas Cardoso
João Lucas Cardoso

joao.lucas@somosnsc.com.br

Raça, coração e determinação. Atributos que o Avaí precisa ter no último e decisivo confronto estão personificados em um jogador que vai estar dentro das quatro linhas a partir das 17h deste domingo: Alemão. O lateral que assumiu a zaga e supera a técnica com vontade serve de inspiração ao Leão que encara o Santos, na Vila Belmiro. O Avaí precisa ganhar fora de casa e torcer por resultados ruins de dois dos três rivais – Coritiba, Sport e Vitória – para conseguir a permanência na Série A do Brasileirão.

Não há outro resultado que caiba à permanência do Avaí que não seja o triunfo no litoral paulista. Não é simples, como também não foi a ascensão de Alemão. Natural de Santo Ângelo (RS), foi operário da bola até conquistar espaço para mostrar as características que o fazem exemplo da raça azurra.  

No começo da década, defendeu diferentes equipes do interior de Santa Catarina. Em 2011, por exemplo, tentava fazer o Inter de Lages deixar a terceira divisão do Catarinense. Dois anos depois, sentiu o cheiro da elite nacional ao integrar o plantel da Chapecoense na campanha do acesso à Série A, emprestado pelo Atlético de Ibirama. Não jogou o Brasileirão, mas foi campeão paranaense em desempenho surpreendente do Operário de Ponta Grossa e em 2014 atuou no Brusque.

 FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 25-02-2017: Avaí conquista o turno e vaga na final do Catarinense com vitória sobre Barroso em Itajaí.
Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS

A raça pelo time do Vale do Itajaí chamou a atenção do Avaí, que montava o time para a disputa da Série B do ano passado. Com orçamento apertado, o clube precisava de jogadores que dessem um pouco mais que futebol. Foi então que Alemão encontrou espaço. Agarrou a chance e ganhou a titularidade. Fará seu 56º jogo neste ano neste domingo. Contra o Santos, transborda o desejo de continuar na Série A que parecia ser tão distante há meia década, com a carreira em andamento e em times modestos.

– Se tiver que me jogar de cabeça, eu jogo. Não só eu, todo mundo vai dar a vida para o Avaí – assegura o raçudo zagueiro.

Ele vai estar ao lado de Betão no jogo das 17h deste domingo. Porém o homem que dava o combate antes deles, Judson, não estará em ação. O volante está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. No ataque, por outro lado, a mudança está condicionada ao estado clínico do goleador do Avaí na temporada, com 16 gols. Junior Dutra não está plenamente recuperado da lesão muscular na coxa esquerda, e pode aparecer como titular, no decorrer da partida ou nem jogar.

Pela circunstância, o último jogo e decisivo para atingir a maior meta esportiva do Leão em 2017, Junior Dutra pode se encher de raça e força e ir ao duelo, inspirado no colega da camisa 4.

FICHA TÉCNICA

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas  Veríssimo, Luiz Felipe e J Mota (Emerson); Matheus Jesus, Renato e Vecchio; Copete, G. Henrique e Kayke. Técnico: Elano. 

AVAÍ: Douglas; Maicon, Alemão, Betão e João Paulo; Simião, Pedro Castro e Marquinhos; Junior Dutra (Luanzinho), Lourenço (Romulo) e Maurinho. Técnico: Claudinei Oliveira. 

Arbitragem: Wagner Magalhães, auxiliado por Rodrigo Corrêa e Thiago Farinha (trio do RJ). Horário: às 17h deste domingo.
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP).

Leia mais notícias sobre o Avaí
Confira a tabela da
Série A do Brasileiro

Jornal de Santa Catarina
Busca