Federer e Nadal retornam à Austrália um ano após renascimento - Esportes - Santa

Versão mobile

Melbourne13/01/2018 | 15h20

Federer e Nadal retornam à Austrália um ano após renascimento

AFP
AFP

Contra todo prognóstico, Roger Federer e Rafael Nadal chegaram à decisão do Aberto da Austrália de 2017, com vitória do suíço. Um ano depois, os dois voltam ao país como favoritos ao título do primeiro Grand Slam do ano.

Após a final em Melbourne, as duas lendas do tênis reinaram durante toda temporada. Federer levantou também o troféu de Wimbledon, enquanto Nadal conquistou as taças de Roland Garros e US Open. O espanhol terminou o ano no topo do ranking mundial.

O suíço sonha em conquistar o 20º título de Grand Slam com o troféu na Austrália, após iniciar o ano em excelente forma física após participação no torneio de exibição Copa Hopman.

Apesar de não encerrar 2017 como gostaria, com derrotas no US Open e no ATP Finals, Federer mantém a confiança alta após apenas cinco derrotas em 57 jogos.

Nadal, outro que "ressuscitou" na última temporada, precisou renunciar ao torneio de Brisbane na semana passada, por conta de dores que insistem em incomodar o joelho. A lesão tirou o espanhol do ATP Finals, em novembro.

- Retorno de Djokovic -

A estreia de Nadal vai ser contra o dominicano Víctor Estrella Burgos, para recuperar as boas exibições nos primeiros jogos do torneio.

"Estou muito contente em voltar à Austrália. Tive um ano difícil em 2017 e comecei minha preparação depois do habitual", falou Nadal ao perder uma partida de exibição para o francês Richard Gasquet.

Além da participação das lendas, que só poderão se encontrar em possível disputa da final, o sérvio Novak Djokovic vai tentar retornar ao nível máximo após desfalcar a segunda metade de 2017 com lesão no cotovelo.

Como Nadal, a única referência de Djokovic antes de Melbourne foi o torneio de exibição de Kooyong. Por isso, o sérvio precisará recuperar o ritmo nas primeiras fases do Grand Slam, caso queira levantar o sétimo título na Austrália.

O britânico Andy Murray não conseguiu se recuperar e segue fora do circuito por conta de lesão no quadril.

No segundo pelotão, o búlgaro Grigor Dimitrov, o alemão Alexander Zverev, o austríaco Dominic Thiem, o belga David Goffin e o francês Lucas Pouille correm por fora para tentar surpreender em Melbourne.

O suíço Stan Wawrinka, especialista em dar a surpresa nos Grand Slams, retorna ao circuito após vários meses fora. O tenista já conquistou três títulos dos principais torneios da temporada, com exceção de Wimbledon.

- Muguruza chega com problemas -

Na categoria feminina, não existem favoritas ao título da competição. Ainda mais após a confirmação da ausência da americana Serena Williams, que declarou não estar pronta para competir em alto nível após o nascimento de sua filha.

Desde que a tenista campeã de 23 Grand Slams iniciou sua maternidade, ninguém aproveitou o vazio de poder do circuito. Quatro jogadores já passaram pelo topo do ranking mundial: a alemã Angelique Kerber, a tcheca Karolina Pliskova, a espanhola Garbiñe Muguruza e a romena Simona Halep, atual detentora da coroa.

Outras duas venceram um Grand Slam pela primeira vez, como a letã Jelena Ostapenko, em Roland Garros, e a americana Sloane Stevens, no US Open.

Desta forma, o quadro permanece muito aberto. A espanhola Muguruza, campeã em Roland Garros (2016) e Wimbledon (2017) quer voltar a vencer um troféu. No entanto, a tenista chega à Melbourne com problemas na perna que obrigaram abandonar o torneio de Sidney nesta semana.

A lenda russa Maria Sharapova não pode ser esquecida, já que vai voltar ao torneio em que testou positivo para doping há dois anos. O reinício da carreira a colocou no 47º lugar do ranking WTA, mas a tenista sonha em concluir seu renascimento com o título na Austrália.

* AFP

Jornal de Santa Catarina
Busca