Artilheiro do Figueirense em 2018 aponta "sombra" de Henan como algo positivo - Esportes - Santa

Vers?o mobile

 

Motivado03/02/2018 | 10h49Atualizada em 03/02/2018 | 10h49

Artilheiro do Figueirense em 2018 aponta "sombra" de Henan como algo positivo

André Luís é o camisa 9 do Furacão no início de temporada e se diz motivado com a concorrência

Artilheiro do Figueirense em 2018 aponta "sombra" de Henan como algo positivo Luiz Henrique / Figueirense / Divulgação/Figueirense / Divulgação
Foto: Luiz Henrique / Figueirense / Divulgação / Figueirense / Divulgação
DC Esportes
DC Esportes

Henan ainda não esteve em campo pelo Figueirense desde que acertou a renovação de contrato, em janeiro. O dono da camisa 9 neste início de temporada é o jovem André Luís, que tem três gols - dois pelo Campeonato Catarinense 2018 e um pela Copa do Brasil - e aproveita essa oportunidade para mostrar ao técnico Milton Cruz que pode tem condições de ser o titular. Ele, aliás, disse que ter essa "sombra" é algo que o motiva no dia a dia.

– É uma situação muito boa, uma situação que dá uma pressão muito boa. Isso motiva a gente cada vez mais, tem um cara com a qualidade do Henan na sombra, no caso, devido ele ter chegado um pouco depois. Isso me motiva cada vez mais, é bom para estar sempre dando o meu melhor – disse André Luís.

Apesar disso, o atacante considera que seja possível dividir o ataque com Henan, mas deixou claro que isso depende de Milton Cruz e, principalmente, do esquema tático a ser utilizado.

– Isso depende muito do esquema tático que o Milton propõe. Acho que dá, sim. Tanto eu como Henan não temos tanta dificuldade para sair da área e trabalhar com os meias. Acho que dá, sim. Mas esse encaixe depende do Milton – falou o jogador.

Dos cinco jogos que o Figueirense disputou em 2018, André Luís só não começou como titular em um - vitória por 1 a 0 sobre o Brusque. Na ocasião, Romarinho foi escalado em sua vaga, pois Milton Cruz tem optado pelo rodízio no elenco neste começo de temporada. Ainda assim, o atacante entrou no decorrer do jogo.

– É começo de temporada, pode ver nos outros clubes o rodízio é normal. Nosso grupo é bem qualificado, quem entrar vai dar o seu melhor e vai ajudar a equipe. Queremos estar jogando sempre, mas por motivos de lesão, para evitar o cansaço a mais, o rodízio é normal e levamos na boa – completou.

O Figueirense volta a campo neste domingo, às 17h, quando recebe o Joinville, no Orlando Scarpelli, pela sexta rodada do Campeonato Catarinense. O Furacão tem 10 pontos, assim como a Chapecoense, mas está em segundo lugar por ter menor saldo de gols. 

Veja a tabela completa do Estadual
Leia mais notícias sobre o
Catarinense 2018

 
Jornal de Santa Catarina
Busca