Tubarão e Brusque não saem do zero na abertura da sexta rodada - Esportes - Santa

Versão mobile

 

Campeonato Catarinense03/02/2018 | 22h12Atualizada em 05/02/2018 | 18h45

Tubarão e Brusque não saem do zero na abertura da sexta rodada

Equipe da casa lutava para sair da lanterna, enquanto visitantes buscaram terceira vitória seguida

Tubarão e Brusque não saem do zero na abertura da sexta rodada Divulgação/CA Tubarão
Atacante Romarinho bem que tentou, mas esbarrou na bem-postada defesa brusquense Foto: Divulgação / CA Tubarão
DC Esportes
DC Esportes

 Tubarão e Brusque abriram a sexta rodada do Campeonato Catarinense em situações distintas. No embalo dos 2 a 0 aplicados sobre o América-RN pela Copa do Brasil, o Peixe buscava uma reação para sair da lanterna do Estadual. O visitante, na terceira posição na tabela, queria cravar a terceira vitória seguida depois que passou a ser comandado pelo técnico Pingo e saltar na classificação. O placar sem gols frustrou os planos de ambos. 

O time da casa começou tentando pressionar, mas as primeiras chances foram do Brusque, sempre pelos pés de Wilson Júnior. Aos 10 minutos, a bola chutada por ele da entrada da área tinha endereço certo, não batesse em Jean e saísse para escanteio. Aos 12, Jean recebeu do atacante na pequena área e finalizou, para a defesa de Beliato. Aos 18, o goleiro tubaronense interceptou novo cruzamento de Wilson Júnior e, na sobra, Carlos Alberto mandou por cima. 

Os sustos parecem ter despertado o Peixe, que chegou com perigo aos 23 minutos em cabeceio de Batista. No lance seguinte, França tentou desviar a bola e quase marcou gol contra. Quase no final da etapa inicial, por pouco Batista não alcançou uma bola erguida na área por Romarinho. Apesar das chances perdidas, as duas equipes agrediram muito pouco para quem prometia correr atrás de vitória. Para tirar o zero do placar, teriam que caprichar mais no segundo tempo.

Na volta do vestiário, como o empate em nada lhe interessava, coube ao Tubarão partir para cima. O Brusque, bem fechado, aguardava as estocadas do anfitrião com os 11 jogadores atrás da linha divisória do gramado. Nas poucas vezes em que os tubaronenses conseguiam furar o bloqueio, sofriam com a péssima pontaria ou eram desarmados pela zaga. Na melhor oportunidade, Batista, praticamente embaixo do gol, cabeceou para fora, aos 32 minutos. 

A equipe do Vale do Itajaí apostou nos contra-ataques e quase se deu bem aos 44, em falta cobrada por Jean Dias que Beliato segurou. Nos acréscimos, o Peixe ainda ameaçou sufocar mais na vontade do que na técnica, sem causar maiores riscos à meta de Dida. O próximo compromisso do Brusque pelo Catarinão será em Chapecó, contra a Chapecoense, enquanto o Tubarão enfrenta o Avaí em Florianópolis. 

Ficha Técnica
TUBARÃO:
Beliato; Marcos Vinícius, Jaílton, Willian Mineiro e Jean; Liel, Everton Dias, Romarinho e Guilherme Amorim (Daniel Costa); David Batista (Batista) e Índio (Isaac). Técnico: Waguinho Dias
BRUSQUE: Dida; João Carlos (Luizinho), Antonio Carlos, Douglas Silva e Neguete; França, Carlos Alberto (Zé Lucas), Adãozinho e Jean Dias; Wilson Junior e Rafinha (Edu). Técnico: Pingo
CARTÕES AMARELOS: Marcos Vinícius, Jean (T); Dida, França (B)
ARBITRAGEM: Fernando Henrique de Medeiros Miranda, auxiliado por Henrique Neu Ribeiro e Fabiano Coelho da Silva
PÚBLICO: 1.000 pessoas, com renda de R$ 22.639,98
LOCAL: Estádio Domingos Silveria Gonzales, em Tubarão 

Veja a tabela do Catarinense 2018
Leia mais notícias sobre o Catarinense 2018 

 
Jornal de Santa Catarina
Busca