Na chegada ao JEC, Matheus Costa pede união e fala em acordar o "gigante adormecido" - Esportes - Santa

Versão mobile

 

Campeonato Catarinense de 201813/03/2018 | 18h17Atualizada em 13/03/2018 | 18h17

Na chegada ao JEC, Matheus Costa pede união e fala em acordar o "gigante adormecido"

Treinador de 31 anos foi oficialmente apresentado pela direção tricolor na tarde desta terça-feira

Na chegada ao JEC, Matheus Costa pede união e fala em acordar o "gigante adormecido" Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

A juventude do técnico Matheus Costa , 31 anos, em nenhum momento foi proporcional ao discurso na chegada ao Joinville. Numa entrevista na qual se portou com um comandante experiente, Matheus pediu na apresentação oficial a união da torcida, imprensa e cidade em torno do JEC. Segundo ele, esta "sinergia" será fundamental para reconquistar a autoestima tricolor, que anda em baixa. 

— Vejo aqui um gigante adormecido. É um clube com muito potencial. Tenho certeza que com trabalho e ajuda de todos, nós vamos alçar voos ainda maiores e vamos recolocar o Joinville na Série B — afirmou.

Diretoria do JEC mostra que também quer ser exigente - a opinião de Elton Carvalho

Foi com esta receita que, no passado, Matheus ajudou a colocar o Paraná Clube na Série A após dez anos de ausência. Mas a estratégia de jogar junto com todos é apenas uma das caraterísticas do novo treinador do JEC. Ao contrário do antecessor, ele é avesso a treinos fechados por entender que isso pouco faz diferença no dia a dia. 

— Hoje em dia é muito fácil ter acesso a todas equipes. Se quiser acompanhar o Joinville de perto, você vê tudo nos jogos. Não vejo porque fechar treino, respeito os profissionais que pensam assim, mas não vejo o porquê disso — comentou.

Dentro de campo, o treinador paranaense é adepto do bom futebol. Inspirado nas ideias de Tite e apoiado na ideia de gestão de grupo de Levir Culpi (com quem trabalhou como auxiliar), ele quer uma equipe competitiva ao longo dos 90 minutos.

— O time tem que gostar de ficar com a bola, não gosta de ficar sem a bola e jogar muito próxima, de forma compacta — adiantou. 

Sobre os objetivos no Tricolor, deixou claro que a grande meta é o acesso à Série B, mas a reta final do Campeonato Catarinense não será levada como um laboratório. 

— Vamos tentar somar o maior número de pontos possíveis, temos alguns clássicos pela frente. O fundamental é pensar jogo a jogo e nosso foco, neste momento, está no Hercílio Luz.

Matheus Costa estreia no sábado, às 16 horas, quando o JEC vai enfrentar o Hercílio, no Estádio Aníbal Costa, em Tubarão. 

Adilson Fernandes assumirá função de Carlos Kila

Na noite de segunda-feira, uma das grandes novidades do Joinville foi a demissão de Carlos Kila, responsável pela montagem do elenco do Tricolor. A saída, no entanto, não fará o JEC ir ao mercado à procura de um novo profissional. A missão de trazer novos jogadores recairá sobre Adilson Fernandes que, recentemente, assumiu a função de coordenador de futebol.

Inicialmente, esta não seria a atribuição de Adilson, mas houve uma mudança de planos. Ele confirmou na entrevista coletiva que terá conversas com Matheus Costa para avaliar o atual elenco e pensar nas novas contratações. Depois disso, pretende focar sua atenção para a melhora nas relações com outros clubes — e, eventualmente, até negociar alguns dos atletas do JEC para manter as contas em dia. 

O diretor financeiro Alexandre Poleza confirmou que o JEC está à procura de um auxiliar-técnico que seja fixo do clube e possa estabelecer um elo entre vestiário e diretoria. A ideia é trazer uma pessoa identificada com o clube, mas, por enquanto, não negociações. 

A nova comissão técnica do JEC, liderada por Matheus Costa, sob a supervisão de Adilson Fernandes, terá ainda  o auxiliar técnico Zé Luiz (homem de confiança de Matheus), e o preparador físico Cassiano Nunes, que já trabalhava no clube.

 
Jornal de Santa Catarina
Busca