Kleina e Milton Cruz aprovam final entre Chapecoense e Figueirense   - Esportes - Santa

Versão mobile

 

Estadual04/04/2018 | 18h49Atualizada em 04/04/2018 | 18h49

Kleina e Milton Cruz aprovam final entre Chapecoense e Figueirense  

Partida de domingo, às 16h, dará o primeiro título do Catarinense para um dos técnicos

Kleina e Milton Cruz aprovam final entre Chapecoense e Figueirense   Marco Favero/Diário Catarinense
Milton e Kleina farão pela primeira vez uma final de Catarinense Foto: Marco Favero / Diário Catarinense
João Lucas Cardoso
João Lucas Cardoso

joao.lucas@somosnsc.com.br

Movimentos da grande final do Campeonato Catarinense 2018, dentro e fora de campo. Chapecoense e Figueirense se encontraram de uma forma diferente e antes do jogo que define o campeão estadual. Os presidentes e treinadores dos dois times estiveram lado a lado nesta quarta-feira para falar sobre a partida das 16h de domingo, na Arena Condá. Nos moldes de grandes competições europeias, a Federação Catarinense de Futebol (FCF) e a Associação de Clubes de Santa Catarina (SCclubes) promoveram uma entrevista coletiva com os dois finalistas do Estadual, no supermercado Angeloni, no bairro Capoeiras, em Florianópolis.

Os treinadores Gilson Kleina e Milton Cruz falaram sobre os aspectos da partida de domingo e também sobre a satisfação de estarem na final de Santa Catarina, algo que ainda não haviam vivenciados em suas carreiras.

– Chegaram à final as duas equipes com regularidade no campeonato. O equilíbrio nos jogos ao longo da competição valorizam a chegada de Chapecoense e Figueirense à final. Teremos de manter o futebol que apresentamos para essa grande final – disse Kleina.

– Estou feliz em levar um grande clube à uma grande final. Estou orgulhoso de jogar o Catarinense, estou feliz. Fico até emocionado. É muito legal disputar uma final. Esperava chegar para levar o Figueirense à primeira divisão. Mas com o trabalho de todo mundo conseguimos estar na final. Eu recuperei aqui a alegria de trabalhar com o futebol. É uma satisfação de trabalhar em um lugar onde as pessoas gostam de mim, como minha mãe falou – desabafou Milton Cruz.

Enquanto os treinadores tentam o primeiro Catarinense de suas carreiras, os presidentes revelaram o desejo de colocar seus clubes no posto mais alto. O Figueirense busca a taça para seguir como o clube que mais conquistou o Estadual, com 17 conquistas até agora. Uma motivação para o presidente e investidor do Figueira, Cláudio Vernalha.

– Foi um campeonato emocionante, acima da expectativa, inclusive para o Figueirense, pelo que ocorreu no ano passado. Todos os times trabalharam bem. Como havia dito o Plínio (David de Nes Filho, presidente da Chape), foi de poucos placares elásticos, de pouca diferença de gols, com times competitivos. Para nós é importante o título, manter-se o mais vezes campeão e continuar com este trabalho para o ano que vem – pontuou o mandatário do Alvinegro.

Neste domingo, a final terá arbitragem de vídeo. Na coletiva, o presidente da Chapecoense, Plínio David de Nes Filho, falou sobre o benefício a favor do futebol nesta final de Catarinense.

– Acredito que venha para somar em todos os aspectos. Tive origem em diferentes atividades esportivas. A minha lembrança clara era o vôlei com suas dúvidas de interpretação dos juízes. Foi com o árbitro de vídeo que acabaram com elas. A modalidade ficou melhor até por parte da torcida, com mais respeito aos árbitros. É possibilidade é parcela maior por paz nos estádios, porque irrita o torcedor os equívocos como gols anulados que não deveriam, pênaltis duvidosos. Isso vai eliminar a dúvida e fará bem ao futebol.

Confira a tabela do Catarinense 2018
Leia mais notícias sobre o
Catarinense 2018

 
Jornal de Santa Catarina
Busca