Nos pênaltis, JEC/Krona avança às semifinais da Libertadores - Esportes - Santa

Versão mobile

 

Futsal26/04/2018 | 18h41Atualizada em 26/04/2018 | 20h12

Nos pênaltis, JEC/Krona avança às semifinais da Libertadores

Tricolor empatou por 3 a 3 com o Caracas no tempo normal, mas venceu por 5 a 4 na dramática disputa após a prorrogação

Nos pênaltis, JEC/Krona avança às semifinais da Libertadores Vitor Kortmann / Divulgação, JEC/Krona/Divulgação, JEC/Krona
Willian pegou dois pênaltis na disputa decisiva Foto: Vitor Kortmann / Divulgação, JEC/Krona / Divulgação, JEC/Krona

O torcedor do JEC/Krona tomou um grande susto na tarde/noite desta quinta-feira, mas conseguiu respirar aliviado após mais de duas horas de disputa diante do Caracas, da Venezuela, em jogo válido pelas quartas de final da Libertadores da América de Futsal. O Tricolor empatou com os venezuelanos por 3 a 3 no tempo normal, voltou a empatar por 0 a 0 na prorrogação e só conseguiu a classificação para as semifinais nos pênaltis, disputa na qual ganhou por 5 a 4. 

Garantido na próxima fase, o time agora vai enfrentar o Sorocaba-SP, que venceu o Boca Juniors, da Argentina, por 4 a 3. O. A semifinal será jogada no sábado, às 11 horas, em Carlos Barbosa

O Joinville, atual campeão da Liga Nacional de Futsal e da Taça Brasil, entrou como absoluto favorito frente ao Caracas. A vitória na primeira fase por 5 a 2 aumentou ainda mais este status dos joinvilenses. No entanto, dentro de quadra, a situação não se confirmou.

O Tricolor até saiu em vantagem logo no começo da partida com o gol marcado por Leco a 1min07s de jogo. Thiaguinho tabelou com Eka, cruzou no lado esquerdo e Leco conferiu na segunda trave. Mas, logo depois, a 2min42s, o Caracas igualou o marcador. Após cruzamento da esquerda de Torrez, Jimenez empurrou para o gol. Os joinvilenses reclamaram de que a bola não havia entrado, mas a arbitragem confirmou o gol.  

O time de Vander Iacovino tomou o susto e só conseguiu reagir aos 13min19s, quando Thiaguinho tentou duas vezes e, no rebote do goleiro Villegas, Leco marcou. A 52 segundos do fim da primeira etapa, Leandro Caires ampliou e fez 3 a 1, dando sinais de que o Joinville classificaria sem sustos. 

No segundo tempo, o Caracas reagiu. A 9min41s, Arias chutou, Willian defendeu e, no rebote, Jimenez diminuiu. O empate aconteceu a 14min28s, com Perez. 

Assustado, o Joinville buscou o gol de todas as maneiras. Gabriel e Thiaguinho tiveram chances, mas o goleiro Villegas apareceu bem. Sem eficiência nas finalizações, o duelo caminhou para a prorrogação. No tempo-extra, o Joinville pressionou, usou o goleiro-linha, e até correu riscos por ter cinco faltas, mas não conseguiu superar os venezuelanos.

Veio a definição nos pênaltis e aí brilhou a estrela de Willian. Na primeira cobrança, de Jimenez, o goleiro joinvilense fez a defesa. Eka marcou, Gonzales igualou, Leandro Caires colocou o JEC à frente e Torres empatou. Leco teve a chance de confirmar a classificação, mas chutou para fora.

A partir daí, aumentou o drama. O Caracas marcou com Perez e Machado enquanto que o Joinville sobreviveu a partir dos gols de Genaro e Thiaguinho. 

O alívio só veio após a defesa de Willian na cobrança de Prieto. Coube a Bruno marcar o gol que garantiu a classificação. 

Willian reconhece partida abaixo do ideal

Após o susto, o goleiro Willian, em entrevista à TV ACBF, reconheceu que o JEC/Krona rendeu pouco diante dos venezuelanos. O goleiro chegou até a considerar que falhou no segundo gol do Caracas, que recolocou o adversário no jogo. 

— Não fizemos uma boa partida. Tomamos gols bobos, eu mesmo falhei no segundo gol espalmando uma bola que não deveria. Acredito que nosso time ficou muito nervoso durante o jogo — apontou.

Autor do gol da classificação nas cobranças de pênalti, o ala Bruno preferiu minimizar o baixo rendimento dos joinvilenses.

— Não tem como explicar. Posso procurar mil palavras para tentar entender e, ainda assim, não conseguirei. O futsal oferece isso, que equipes com menos estrutura possam igualar os jogos e foi exatamente o que aconteceu — avaliou.  

 
Jornal de Santa Catarina
Busca