França aposta em fôlego no meio e velocidade no ataque contra Bélgica - Esportes - Santa

Versão mobile

 

São Petersburgo09/07/2018 | 12h47

França aposta em fôlego no meio e velocidade no ataque contra Bélgica

AFP
AFP

A França chegou na Copa da Rússia-2018 como uma das favoritas ao título mundial, e tem confirmado as expectativas graças à sua grande capacidade atlética no meio-campo e um ataque rápido, com Kylian Mbappé e Antoine Griezmann como estrelas.

Mas a competição também serviu para a equipe do técnico Didier Deschamps mostrar que tem uma defesa sólida, com os dois laterais surpreendendo e um goleiro seguro.

Estes são os argumentos da França em sua tentativa de alcançar sua terceira final de uma Copa do Mundo nos últimos 20 anos, após o título em 1998 e a derrota contra a Itália em 2006.

- Lloris, decisivo -

Ele não atrai os holofotes como seus companheiros de equipe, mas Hugo Lloris, capitão dos Bleus, pode ser tão decisivo quanto os atacantes. Foi o que fez contra o Uruguai nas quartas de final, quando salvou a partida defendendo uma cabeçada de Martín Cáceres, no que teria sido o gol de empate.

O goleiro do Tottenham está sua melhor fase e aos 31 anos se confirma como um dos melhores do mundo em sua posição.

- Um muro no centro e laterais ofensivos -

Em cinco jogos disputados nesta Copa do Mundo, a França terminou três deles sem levar gol, provando que tem uma das melhores defesas do campeonato.

Com o posicionamento e potência no jogo aéreo de Raphael Varane e a velocidade e antecipação de Samuel Umtiti, ambos foram uma defesa quase intransponível no centro.

Nas laterais, Deschamps surpreendeu colocando os jovens Benjamin Pavard e Lucas Hernandez como titulares, mas eles têm respondido com grandes apresentações, indo constantemente ao ataque, como mostraram contra a Argentina nas oitavas, onde o primeiro marcou um gol e o segundo deu duas assistências (4-3).

- 'Quinze pulmões' -

O meio-campista N'Golo Kanté se revelou como uma peça insubstituível. "Com ele jogamos com 12 (jogadores). Corre por toda parte, tem 15 pulmões!", ressalta seu companheiro Olivier Giroud.

"Quando está no auge, tem 95% de chance de vencer", diz o belga Eden Hazard sobre o pequeno jogador do Chelsea (1,68 m).

A onipresença de Kanté é complementada pelo poder físico e técnica de Paul Pogba e pela entrega de Blaise Matuidi.

- Dois astros e um lutador -

No ataque francês, o jovem Kylian Mbappé se revelou, aos seus 19 anos, uma das grandes estrelas do campeonato, graças sobretudo a sua atuação de gala contra a Argentina.

Griezmann também se destaca, mas num papel diferente do habitual, jogando mais atrás e cadenciando a velocidade do jogo.

Olivier Giroud é o 'patinho feio'. Não tem a qualidade de seus companheiros, mas sua luta constante por todas as bolas e sua capacidade de abrir espaços são notáveis.

"É fundamental para o equilíbrio da equipe e mesmo sem marcar não tem problema, seu trabalho permite que os outros brilhem", destaca Deschamps.

* AFP

 
Jornal de Santa Catarina
Busca