CR7 é expulso, mas Juventus vence Valencia na estreia da Liga dos Campeões - Esportes - Santa

Versão mobile

 

Valência19/09/2018 | 18h15

CR7 é expulso, mas Juventus vence Valencia na estreia da Liga dos Campeões

AFP
AFP

Mesmos sem Cristiano Ronaldo, expulso em sua primeira partida pela Juventus na Liga dos Campeões, a Velha Senhora venceu o Valencia por 2 a 0, nesta quarta-feira na primeira rodada do grupo H da competição.

CR7 recebeu cartão vermelho direto e deixou o gramado chorando, aos 29 minutos do primeiro tempo. Com 10 jogadores, o bósnio Miralem Pjanic assumiu o protagonismo do time italiano e marcou os dois gols do jogo, cobrando pênalti aos 44 minutos da primeira e aos seis minutos da segunda etapa.

Nos acréscimos, o goleiro polonês Wojciech Szczesny ainda teve tempo de defender cobrança de pênalti de Parejo e assegurar o saldo de dois gols de diferença.

Contratado pela Juventus por 100 milhões de euros, Cristiano Ronaldo via sua estreia na Liga dos Campeões pelo novo clube recheada de expectativas. No entanto, o craque português acabou decepcionando no seu retorno à Espanha após nove temporadas defendendo o Real Madrid.

Ronaldo se enrolou com o colombiano Jeison Murillo fora da jogada e a arbitragem interpretou o lance como agressão. O cinco vezes vencedor da Bola de Ouro se mostrou inconsolável com a decisão e deixou o gramado chorando.

No outro confronto do grupo, o francês Paul Pogba marcou duas vezes na vitória do Manchester United sobre o Young Boys por 3 a 0. O francês balançou as redes na primeira etapa, aos 35 e 44 minutos, e deu assistência para o compatriota Anthony Martial fechar o placar aos 21 da segunda etapa.

Na próxima rodada, dia 2 de outubro, a Juventus enfrenta o time suíço em casa, enquanto o Valencia viaja para encarar os Diabos Vermelhos no mítico Old Trafford.

- Céu e inferno de CR7 -

Depois de desencantar no Campeonato Italiano após três rodadas sem marcar, balançando as redes duas vezes na vitória contra o Sassuolo (2-1), o primeiro jogo de Cristiano Ronaldo pela Juventus na Liga dos Campeões era muito aguardado.

Contratado para ajudar a Velha Senhora a reconquistar o torneio continental, após dois vices recentes (2015 e 2017) e o último título em 1996, o maior artilheiro da história da competição com 120 gols iniciou a partida com gás.

A primeira tentativa do luso veio aos 9 minutos em chute cruzado que desviou na zaga e saiu pela linha de fundo. Na sequência, Ronaldo recebeu passe açucarado de Bernardeschi, pegou mal na bola e sem querer deixou Mandzukic na cara do gol, mas o croata perdeu um gol feito na pequena área.

Aos 16, a Juve teve nova chance de abrir o placar em jogada iniciada por Ronaldo. O português fez belo lançamento para Bernardeschi, que deixou Khedira cara a cara com o goleiro em condições perfeitas para marcar, não fosse o pé torto do alemão.

Tudo ia bem em seu retorno à Espanha, país onde se consagrou como uma lenda do futebol vestindo a camisa merengue. Mas a história mudou quando Ronaldo se desentendeu com Murillo em disputa fora do lance que tornou a partida um pesadelo. O português acabou recebendo cartão vermelho direto e deixou o gramado inconsolável, aos 29 minutos.

No entanto, o Valencia não conseguiu aproveitar a vantagem numérica e acabou cedendo pênalti bobo para o time italiano, aos 42. Após lance confuso com furada e chute na trave de Cancelo, Parejo levantou demais o pé em disputa de bola no rebote e acertou a cabeça do português. Pjanic foi para a cobrança e bateu no canto direito, vencendo o goleiro brasileiro Neto para abrir o placar aos 44.

- Szczesny garante vantagem -

Na volta do intervalo, o time espanhol partiu com tudo para buscar o empate nos minutos iniciais. No entanto, a zaga vacilou em cobrança de escanteio e Murillo cedeu mais um pênalti após agarrar Bonucci dentro da área. Pjanic repetiu a cobrança e ampliou a vantagem italiana aos seis minutos.

Com um a menos e vantagem de dois gols, a Juventus não se envergonhou em fechar a casinha e tentar explorar um contra-ataque, enquanto os espanhóis faziam de tudo para tentar reverter o resultado. Aos 19, Soler arriscou de fora da área e exigiu bonita defesa de Szczesny.

O tempo foi passando e as chances do Valencia continuavam parando no arqueiro polonês. Aos 26 e 34, Szczesny defendeu mais duas tentativas de Soler. Pouco depois, Rodrigo e Gameiro ficaram perto de marcar, mas faltou capricho dos dois na conclusão.

No final do jogo, aos 50 minutos, o Valencia teve a última chance de superar Szczesny depois do árbitro assinalar pênalti de Rugani em Gameiro. Parejo cobrou no canto esquerdo e o goleiro voou para espalmar, garantindo a vantagem de dois gols do time italiano.

* AFP

 
Jornal de Santa Catarina
Busca