Gigantes europeus sonham quebrar hegemonia do Real Madrid na Liga dos Campeões - Esportes - Santa

Versão mobile

 

Paris17/09/2018 | 13h25

Gigantes europeus sonham quebrar hegemonia do Real Madrid na Liga dos Campeões

AFP
AFP

Tricampeão da Liga dos Campeões, o Real Madrid inicia o torneio órfão de Zinedine Zidane e CR7, aumentando o apetite dos adversários que pretendem suceder o trono, como Liverpool, Barcelona, Manchester City, Juventus e Paris Saint-Germain.

A temporada 2018-2019 inicia nesta semana e vai se concluir no estádio Metropolitano de Madri, nova casa do ambicioso Atlético de Madrid. Quem vai levantar a "Orelhuda", como a taça é carinhosamente chamada, no dia 1º de junho de 2019?

O Real Madrid, que perdeu Zidane e Cristiano Ronaldo, está em processo de renovação após levantar o tricampeonato consecutivo ao superar o Liverpool (3-1) na última decisão em Kiev.

Mas a equipe segue forte com a permanência de Gareth Bale, Karim Benzema e Luka Modric, melhor jogador da Copa do Mundo e forte candidato à Bola de Ouro. Além do trio ofensivo, a equipe manteve nomes importantes como Raphaël Varane, Marcelo e Sergio Ramos, além de contratar o goleiro Thibaut Courtois.

- Juventus e Liverpool reforçados -

No entanto, a equipe merengue perdeu Zinédine Zidane, técnico que conquistou o torneio três vezes em dois anos e meio, e Ronaldo, maior artilheiro da história da competição com 120 gols, 20 a mais que o rival Lionel Messi.

Após nove temporadas na capital espanhola, Ronaldo partiu para um novo desafio e assinou pela Juventus, contra quem marcou dois gols na decisão do título de 2017. Na última edição, o português marcou 15 gols e terminou como artilheiro pela sétima vez em sua carreira.

Heptacampeão do Campeonato Italiano, a Juventus desembolsou 100 milhões de euros para ampliar suas ambições para a competição europeia. Além do luso, a Velha Senhora contratou Douglas Costa em definitivo e trouxe João Cancelo, Emre Can e Leonardo Bonucci para fortalecer o elenco.

O Liverpool também foi ao mercado para ficar mais forte e aumentar suas chances de título no torneio, depois do vice-campeonato na temporada passada.

Os Reds mantiveram o trio ofensivo infernal formado por Roberto Firmino, Sadio Mané e Mohamed Salah, destaque da última temporada. Além disso, trouxeram Xherdan Shaqiri, Fabinho, Naby Keita e Alisson em transações que somadas superaram os 200 milhões de euros.

Na Premier League, os comandados de Jürgen Klopp dividem a liderança com o Chelsea com 100% de aproveitamento. A última vitória foi contra a forte equipe do Tottenham, outro clube inglês na Liga dos Campeões ao lado de Manchester City e Manchester United.

- A vez do PSG? -

O Paris Saint-Germain, que na terça-feira inicia sua luta pelo tão sonhado título da Champions contra o Liverpool, iniciou a temporada de maneira impecável. O PSG lidera a Ligue 1 com tranquilidade e 100% de aproveitamento, já com cinco pontos de vantagem para o segundo colocado.

A equipe não investiu alto no mercado de transferências, por conta das regras do fair-play financeiro, mas conseguiu trazer o veterano goleiro Gianluigi Buffon sem custos, Thilo Kehrer, Juan Bernat e Eric Maxim Choupo-Moting.

Após quatro eliminações nas quartas de final, as primeiras esperançosas e as seguintes frustrantes, o PSG caiu nas oitavas de final nas últimas duas edições: primeiro contra o Barcelona, depois de sofrer virada ao perder o jogo de volta por 6 a 1, e depois contra o Real Madrid.

O time da capital francesa aposta no trio ofensivo comandado por Edinson Cavani, Kylian Mbappé e Neymar, que acabou decepcionando na temporada passada mas que aposta no novo técnico Thomas Tuchel para alcançar o objetivo.

Se a Alemanha aposta todas suas fichas no Bayern de Munique, a Espanha tem força para buscar a disputa da final na capital do país, em especial Real Madrid, o Barcelona de Messi e o Atlético de Madrid de Antoine Griezmann.

O campeão da última Liga Europa manteve o campeão da Copa do Mundo francês e contratou o compatriota Thomas Lemar. Batido na decisão pelo rival Real Madrid em 2014 e 2016, o Atlético sonha com a revanche em casa no dia 1º de junho.

* AFP

 
Jornal de Santa Catarina
Busca