Itália ameaça bloquear portos diante de onda migratória - Duplicação BR-470 - Santa

Versão mobile

Roma28/06/2017 | 14h17

Itália ameaça bloquear portos diante de onda migratória

AFP
AFP

A Itália ameaçou impedir a entrada em seus portos de navios com bandeira estrangeira que transportam migrantes resgatados no Mediterrâneo, como resposta à onda incontrolável de chegadas, informaram nesta quarta-feira fontes do governo.

"Não se pode continuar assim", assegurou à AFP uma fonte próxima ao governo.

O representante da Itália na União Europeia (UE), Maurizio Massari, se reuniu em Bruxelas com o comissário europeu para as Migrações, Dimitri Avramopoulos, para entregá-lo uma carta na qual a Itália explica que, com a chegada em massa de migrantes nos últimos dias, "a situação se tornou intratável".

Cerca de 10.200 migrantes foram resgatados entre domingo e terça-feira na costa da Líbia, 5.000 somente na segunda-feira, segundo dados oficiais.

A Guarda Costeira italiana, que coordena as operações de resgate no Mediterrâneo, explicou que inúmeros barcos estrangeiros, vários deles fretados por organizações não governamentais, participam destas operações.

Os migrantes são transportados a portos italianos, de onde costumam ser divididos nos vários centros de acolhida da península, que estão saturados.

"Se continuarmos assim, a situação ficará muito difícil de lidar, mesmo em um país grande e generoso como o nosso", reconheceu o presidente da República, Sergio Mattarella, que está no Canadá.

A Itália se queixa há vários anos sobre a política passiva da União Europeia (UE) diante da grave crise migratória causada pelos conflitos no Oriente Médio e na África.

As autoridades da Itália pedem à UE maior solidariedade visando um fenômeno que atinge todos os países e, em particular, os que estão mais ao sul.

Segundo o Ministério do Interior da Itália, 73.000 migrantes chegaram ao país desde o início do ano, mais de 14% em relação ao mesmo período em 2016.

Segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), pouco mais de 2.000 pessoas morreram ou desapareceram ao longo de 2017 na tentativa de cruzar o Mediterrâneo.

* AFP

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaConfira as ruas que podem ser fiscalizadas com os radares portáteis em Blumenau https://t.co/obgEF0Lk8J #LeiaNoSantahá 3 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaNovo relatório da Fatma aponta que 50,7% das praias de SC estão impróprias para banho https://t.co/VNBOpI3w0H #LeiaNoSantahá 4 horas Retweet

Mais sobre

Jornal de Santa Catarina
Busca