Nazismo: SC tem herança histórica de ideais propagados por Hitler - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Polêmica11/12/2014 | 08h02

Nazismo: SC tem herança histórica de ideais propagados por Hitler

Passado histórico cultural deixam rastros do nazismo no Estado

Nazismo: SC tem herança histórica de ideais propagados por Hitler Divulgação/Polícia Civil
Foto foi feita durante o deslocamento de uma aernave que participava de uma operação de resgate Foto: Divulgação / Polícia Civil

A antropóloga Adriana Dias, pesquisadora da Universidade de Campinas (Unicamp), mapeou grupos de neonazistas na internet e concluiu que a maioria deles está em Santa Catarina. A pesquisa, de 2009, considerou apenas usuários que baixaram mais de cem arquivos de sites de nazismo no Brasil.

Ao todo, 45 mil pessoas em Santa Catarina se encaixaram no perfil – número que acende o alerta entre especialistas. Na época em que foi feita a pesquisa havia mais de 20 mil sites que continham apologia ao nazismo no país. De lá para cá estima-se que o índice de arquivos baixados por simpatizantes tenha crescido 6% ao ano.

Leia mais:

::: Suástica em piscina e cartazes reacendem debate sobre nazismo
::: Historiadores falam do ressurgimento do 'ideário nazista' no Brasil
::: Faltam provas para confirmar casos de apologia ao nazismo em SC

Para o advogado e jornalista Aluízio Batista Amorim, autor do livro Nazismo em Santa Catarina, a colonização alemã que começou no século 19 pode ajudar a explicar os dados no Estado. O Vale do Itajaí teve a primeira sede brasileira do partido nazista, em Timbó, ainda na década de 1920. Espalhado pelo país, o partido chegaria a ter quase 3 mil filiados no Brasil.

A historiadora Marlene de Faveri, pesquisadora da Udesc, conta que se estimava, durante a 2ª Guerra Mundial, que 10% dos imigrantes no Sul do país eram nazistas. Na época, quem tivesse o nome na lista dos “quinta-coluna”, os traidores, estava sujeito a perder bens e a liberdade. Campos de concentração na Capital e em Joinville reuniram os suspeitos de nazismo catarinenses — de gente simples a figurões, alguns deles com sobrenomes ainda hoje muito comuns por aqui, que foram detidos, interrogados e torturados sob a acusação de trabalhar pelo nazismo alemão. 

— Temos em Santa Catarina uma colonização europeia muito forte, imigrantes e descendentes que professaram e não aceitaram a derrota do nazismo. Há grupos no Estado que ainda se reúnem e festejam, por exemplo, o aniversário de Hitler — comenta Marlene.

— É uma tradição germanófila — diz o também historiador Viegas Fernandes da Costa, de Blumenau – a adoração a uma Alemanha que já não existe mais.

Veja ainda:

::: MP cogita investigar a suástica no fundo de piscina em Pomerode
::: Pancho: Piloto registra suástica dentro de piscina no Vale do Itajaí

JORNAL DE SANTA CATARINA

Notícias Relacionadas

Polêmica 11/12/2014 | 07h47

Imagens de suástica em piscina e cartazes reacendem debate sobre nazismo no Vale do Itajaí, em Santa Catarina

Casos recentes trazem à tona polêmica sobre um passado que envolve histórico cultural da região

Polêmica 03/12/2014 | 19h43

Delegacia de Pomerode não irá investigar presença de suástica no interior de piscina

O fato ganhou repercussão após a divulgação de uma foto feita de dentro de um helicóptero da Polícia Civil

Imagem 21/04/2014 | 16h50

Imagens de câmeras próximas à Igreja Matriz de Itajaí devem identificar autor de cartaz em homenagem a Hitler

Cartaz dando os parabéns ao ditador apareceu colado em poste

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaCoreia do Norte testa motor de foguete https://t.co/k2GCzzVE9v #LeiaNoSantahá 44 segundosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaMicrosoft: vírus utilizado em ciberataque aproveitou falha do Windows https://t.co/Pe6iEpq2kw #LeiaNoSantahá 20 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros