Governador Raimundo Colombo diz a lideranças que vai fortalecer investigação policial em Joinville - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Reforço15/09/2016 | 21h01

Governador Raimundo Colombo diz a lideranças que vai fortalecer investigação policial em Joinville

Ele também garantiu que soldados atualmente em formação serão incorporados ao efetivo

Governador Raimundo Colombo diz a lideranças que vai fortalecer investigação policial em Joinville Rodrigo Philipps/Agencia RBS
Reunião ocorreu na tarde desta quinta-feira em Joinville Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS
O governador Raimundo Colombo se reuniu, na tarde desta quinta-feira, com representantes de entidades empresariais de Joinville e afirmou que o Estado vai reforçar o trabalho e “trazer mais elementos de inteligência para fortalecer a investigação policial” realizada na cidade. Também garantiu que os soldados atualmente em formação serão incorporados ao efetivo. O número de profissionais encaminhados a Joinville e região ainda não foi revelado, mas Colombo disse que será o suficiente.

Leia as últimas notícias sobre Joinville e região no AN.com.br

O governador esteve na cidade para inaugurar obras e discutir a questão da segurança. Um grupo formado por representantes da Acij, CDL, Ajorpeme e Acomac queria avançar em datas, investimentos e estratégias emergenciais para atacar os pontos mais críticos da segurança, especialmente em relação ao número de homicídios, furtos e roubos ao comércio, além, é claro, da falta de efetivo policial. Colombo e a cúpula da segurança pública de SC apresentaram, durante a reunião, os trabalhos que estão sendo realizados na cidade e destacaram a importância de dar continuidade às ações que já dão resultado.

— O trabalho de inteligência feito até agora apresentou excelentes resultados. No caso de Joinville, esse é o trabalho mais importante. O que precisamos ter agora é uma colaboração entre os poderes porque tem pessoas que foram presas 54 vezes e hoje estão soltas — explicou o governador, que prometeu divulgar ao Judiciário os estudos da Secretaria de Segurança Pública que mostram a realidade que passa o Estado.

O secretário de Segurança Pública, César Grubba, afirmou que o diretor de inteligência do Estado esteve na cidade nesta semana para se reunir com o Ministério Público e o Judiciário para intensificar a parceria. Grubba destacou que neste semestre foram apreendidas na cidade mais de uma tonelada e meia de drogas, 165 armas de fogo e foram presos mais de 1,8 mil pessoas.

O secretário disse também que 80% dos criminosos detidos respondem processo em liberdade e que Joinville tem hoje “apenas” cinco homicídios a mais do que o mesmo período do ano passado – pelo levantamento do jornal “A Notícia”, já ocorreram 82 mortes violentas neste ano.

“Pior não fica, a tendência é melhorar”, diz Moacir Thomazi

O presidente da Associação Empresarial de Joinville (Acij), Moacir Thomazi, saiu otimista da reunião com Raimundo Colombo e a equipe de segurança do Estado. Ele sentiu que há uma vontade grande do governador em melhorar a situação na cidade, mas entende que há limitações para que isso aconteça. No entanto, Thomazi não acredita que qualquer medida tomada neste momento possa ter um resultado imediato.

— São medidas com soluções em médio prazo, mas o importante é que elas comecem. Há o aumento de efetivo que deve acontecer, claro que não na velocidade desejável, e algumas ações estratégicas de inteligência. As entidades se colocaram à disposição e o governo também. Acho que pior não fica, a tendência é melhorar — afirmou.

Assim como a cúpula de segurança, Thomazi também salientou que há problemas estruturais, na Legislação, que atrapalham na redução da criminalidade. O empresário defende que precisa haver uma mudança nas leis para que um criminoso não seja preso várias vezes pelo mesmo delito e continue na rua respondendo em liberdade.
O presidente da Acij contou que as entidades se comprometeram a trabalhar junto aos senadores e deputados federais catarinenses para tentar buscar soluções nesse sentido.

— Vamos fazer contato também com o Poder Judiciário, mas a questão é da legislação. Tem que melhorar e mudar um pouco para que permita ao juiz manter o cara mais tempo preso — defendeu.

Thomazi reconhece que a reincidência dos crimes não é um problema que acontece apenas em Joinville, mas que se repete em outras cidades. Ele ressalta que a polícia faz bem o seu trabalho ao efetuar a prisão e, em alguns casos, até se expõe e coloca em risco o policial, mas no dia seguinte, o criminoso está novamente na rua praticando o mesmo delito.

A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

Segurança 07/09/2016 | 07h01

O que as entidades de Joinville cobram na segurança pública

Confira pontos que serão apresentados por lideranças ao governador Raimundo Colombo no dia 15

 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaMarcada pela morte de Domingos Montagner, "Velho Chico" resgatou a relevância da novela das nove https://t.co/1Kyenc5Raq #LeiaNoSantahá 5 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaVeja como será o debate eleitoral em seis cidades de SC https://t.co/sjCyDAIVqd #LeiaNoSantahá 44 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros