Com problemas na Justiça, Gaspar amanhece sem coleta de lixo - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Contrato17/10/2016 | 11h42Atualizada em 17/10/2016 | 18h05

Com problemas na Justiça, Gaspar amanhece sem coleta de lixo

Após o vencimento da licitação anterior, contrato emergencial que iniciaria nesta segunda-feira foi suspendido pela Justiça

Com uma briga na Justiça referente a um contrato emergencial, sobrou para os moradores de Gaspar começarem a semana sem coleta de lixo. O serviço seria feito por uma nova empresa a partir desta segunda-feira, a Transólido Transportes de Resíduos, contratada emergencialmente para operar por seis meses enquanto o município faz uma nova licitação, mas um mandado de segurança no fim de semana fez a Justiça suspender a proposta e a empresa não pôde iniciar os trabalhos.

O contrato em vigor até então em Gaspar, com a empresa Say Muller, venceu neste domingo. Com a data já esperada, a prefeitura lançou uma licitação para o serviço em julho, mas o edital foi revogado pela Justiça. Com o vencimento próximo, em setembro o Samae convocou empresas interessadas em fazer a coleta emergencialmente por seis meses, e a Transólido foi a vencedora. No entanto, a Say Muller entrou com o mandado de segurança alegando não concordar com o resultado do processo.

Através da assessoria de imprensa, a prefeitura de Gaspar e o Samae disseram que estão trabalhando para derrubar a liminar e manter o acordo com a Transólido. Uma reunião entre o procurador do município e o juiz responsável pelo caso ocorreu nesta segunda, mas até o início da noite desta segunda, segundo o diretor-presidente do Samae, Élcio Carlos de Oliveira, ainda não havia novidades sobre o caso. Com isso, ainda não há uma previsão para quando a coleta de lixo deve ser retomada.

JORNAL DE SANTA CATARINA

 
 
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros