Reféns são liberados pelos índios de José Boiteux, no Alto Vale do Itajaí - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Serrinha19/10/2016 | 17h07

Reféns são liberados pelos índios de José Boiteux, no Alto Vale do Itajaí

Segundo os familiares, os dois colonos não foram agredidos durante a confusão

Reféns são liberados pelos índios de José Boiteux, no Alto Vale do Itajaí Marina Luz Dalcastagne/Arquivo Pessoal
Dois reféns abraçam familiar após serem soltos. Foto: Marina Luz Dalcastagne / Arquivo Pessoal

Foram liberados nesta quarta-feira, por volta das 14h, os dois colonos que ficaram reféns de índios do povo Laklãnõ-Xokleng que vivem em José Boiteux, no Alto Vale do Itajaí. Eles foram levados até a prefeitura para encontrar com os familiares e não estariam machucados e nem teriam sido agredidos durante toda a confusão. O acesso à comunidade Serrinha também foi aberto.

O cacique da tribo entregou à Polícia Civil um documento escrito à mão, onde pede, de modo geral, para que os colonos “não mais os incomodem”. Conforme os índios, se as seis famílias não provocarem novos atritos, a situação não irá se repetir. Para soltar os dois jovens que haviam sido capturados nesta terça-feira, os indígenas pediram a presença da mídia.

* Com informações de Marina Dalcastagne e Oswaldo Sagaz, RBS TV

Relembre

Segundo a população indígena, o atrito com os colonos da região começou na segunda-feira, quando um deles teria ameaçado alguns índios. Na manhã de terça houve uma nova discussão. Segundo informações dos indígenas, eles teriam sido atacados pelos brancos. Em resposta, os índios capturaram e fizeram dois jovens como reféns, um de 24 e outro de 15 anos.

Parentes de Jefferson Lehmkuhl, 24 anos, um dos reféns, entraram em contato com a reportagem e afirmam que a disputa com os índios é antiga e que eles é que teriam agredido a família. Segundo Glaucio Lehmkuhl, primo de Jefferson, os índios teriam entrado na casa dele e ameaçado incendiar o local, mas recuaram ao perceber que havia duas crianças. Depois disso os indígenas teriam capturado Jefferson e um garoto de 15 anos.

Para soltar os prisioneiros os índios pediam a presença da Justiça e da Polícia Federal e exigiam um novo acordo de convivência e a saída das seis famílias de colonos que vivem em terras que a comunidade afirma ser dos indígenas. O processo de demarcação de terras indígenas da comunidade Laklãnõ-Xokleng está em tramitação no Supremo Tribunal Federal desde 2007.

JORNAL DE SANTA CATARINA

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: a Chapecoense é uma unanimidade https://t.co/w9WYf5SyKn #LeiaNoSantahá 4 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    Santa"Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguirá calar a Justiça", reage Cármen Lúcia https://t.co/JZDSmNAMoY #LeiaNoSantahá 4 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros