Fórmula para a disrupção - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Joinville que Queremos - Opinião25/11/2016 | 07h11

Fórmula para a disrupção

"A disrupção requer dois elementos: o primeiro e o mais poético é a inovação"

A disrupção requer dois elementos: o primeiro e o mais poético é a inovação. Por exemplo: um smartphone que traz toda a tecnologia de um supercomputador para a palma da mão, podendo ser acessado por toques; os práticos serviços de streaming de músicas ou de filmes; e o eficiente transporte proveniente de plataformas pensadas a partir da economia colaborativa são claros modelos de inovação. Já o segundo elemento, bem menos convincente, mas igualmente presente, é a estagnação.

Antes da verdadeira inovação, a sociedade passa pela estagnação. No caso dos telefones: eram desajeitados, com acessos complicados, agendas precisavam ser digitadas manualmente, a usabilidade era quase inexistente; as coleções de músicas e filmes exigiam muitos gigabytes e horas e horas de trabalho para sincronização e correção de nomes e de artistas. O táxi, apesar de ainda ser a nossa única alternativa de transporte imediato em Joinville, demora dez minutos para chegar, não aceita cartão de crédito e ainda cobra uma taxa conhecida como “bandeirada”.

Com a publicidade não é diferente. Especificamente, destaco a publicidade na TV e, posteriormente, a online. Estas demonstram estar em seu vértice de estagnação. A TV, como conhecemos, surgiu há 90 anos. Só em 1955 vieram os comerciais de TV no tradicional formato de 30 segundos. Nos anos de 1970, consolidou-se como eficiente plataforma de comunicação, com ênfase na explosão da cena criativa em torno deste formato comercial.

Percebe-se a real estagnação do modelo quando abrimos qualquer portal ou site numa internet poluída de comunicação invasiva. Para quem ainda não usa os já consolidados bloqueadores de propaganda online, que aliás, crescem vertiginosamente – já são mais de 90 milhões de usuários, segundo o Venture Beat – a tela parece um espelho dos filmes trash. Para cada conteúdo acessado, há a obrigação de audiência em um comercial de formato igual ao do início da programação televisiva.

Se tentarmos identificar onde a publicidade online situa-se hoje, dentro da fórmula de estagnação + inovação = disrupção, podemos afirmar que ainda estamos nos estágios iniciais de inovação.

No entanto, ainda podemos confiar que esta inovação será talhada para um formato que vai atingir um equilíbrio imparcial entre as partes interessadas. É inevitável a redistribuição de força entre os players do negócio, mas como a maioria dos momentos de disrupção na história da tecnologia, ainda teremos muito para discutir. O que não dá é deixar de acreditar que teremos uma atmosfera onde a criação, o conteúdo e o consumo de mídia possam coexistir em um ambiente que beneficie todos.

A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

Joinville que Queremos 24/11/2016 | 07h11

Empreendedores de Joinville mostram que com pouco dá para ir longe

Eles ensinam que coragem e criatividade podem ser o passaporte para se alcançar o sucesso

Joinville que Queremos 17/11/2016 | 10h44

Inovação está no centro das discussões empresariais de Joinville

O tema desta etapa do projeto Joinville que Queremos vai mostrar saídas para melhorar a cidade e olhar os problemas sob outra ótica

Joinville que Queremos 12/08/2016 | 08h49

Programa em Joinville oferece aulas gratuitas para pessoas com deficiência

Natação na Univille atende à comunidade em espaço para inclusão

Joinville que Queremos 09/08/2016 | 13h36

Projeto social no Jardim Paraíso em Joinville usa o esporte para fortalecer a cidadania

Mais de 50 crianças e adolescentes fazem parte do Projeto Leões de Judá

Joinville que Queremos 08/08/2016 | 08h04

Programas sociais em Joinville formam cidadãos por meio do esporte

Conheça os projetos que ensinam atividade esportiva e cidadania para jovens em situação de vulnerabilidade social. A segunda etapa do Joinville que Queremos vai apresentar histórias inspiradoras sobre o tema até o dia

Joinville que Queremos 18/06/2016 | 07h01

Entenda como Joinville se prepara para receber os recém-nascidos e dá suporte às grávidas atendidas na rede pública

No ECA, há um capítulo inteiro sobre a vida e a saúde como direitos fundamentais

OPINIÃO 17/06/2016 | 09h30

Direitos e Deveres

Sérgio Ricardo Joesting, promotor de justiça da infância e juventude fala sobre o ECA; para ele, a crise não é somente econômica ou política, é de falta de respeito

Joinville que Queremos 17/06/2016 | 09h01

Livro reúne relatos sobre aplicação do ECA no Norte de Santa Catarina

A publicação, com 270 páginas, faz um resgate histórico inédito no Brasil

Tema em discussão 16/06/2016 | 07h03

Joinville que Queremos: o que as crianças sabem sobre seus direitos

Desde cedo, as escolas ensinam, em sala de aula, sobre os direitos da criança e do adolescente. Como você encara o assunto? Durante 12 dias, o “AN” terá reportagens especiais sobre o tema

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: a Chapecoense é uma unanimidade https://t.co/w9WYf5SyKn #LeiaNoSantahá 4 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    Santa"Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguirá calar a Justiça", reage Cármen Lúcia https://t.co/JZDSmNAMoY #LeiaNoSantahá 4 diasRetweet

Mais sobre

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros