Justiça alemã confirma condenação por "cumplicidade" de ex-contador de Auschwitz - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Decisão28/11/2016 | 12h29Atualizada em 28/11/2016 | 12h33

Justiça alemã confirma condenação por "cumplicidade" de ex-contador de Auschwitz

Oskar Groning, de 95 anos, teve o recurso rejeitado pela Corte Federal de Karlsruhe, mas permanece em liberade

Justiça alemã confirma condenação por "cumplicidade" de ex-contador de Auschwitz AFP PHOTO/POOL / AXEL HEIMKEN
Foto: AFP PHOTO / POOL / AXEL HEIMKEN
AFP
AFP

A Justiça alemã confirmou a pena de quatro anos de prisão para o contador de Auschwitz, Oskar Groning, de 95 anos, condenado por "cumplicidade" no assassinato de 300 mil judeus. Em 20 de setembro, a Corte Federal de Karlsruhe rejeitou um recurso apresentado pelo nonagenário após a condenação, em julho de 2015, pelo tribunal de Luneburgo. A informação foi confirmada à AFP pelo advogado Hans Holtermann.

A Corte também recusou os recursos apresentados por vários demandantes que não concordavam com a primeira sentença. A decisão, muito aguardada pelos juristas da Alemanha, valida um conceito mais amplo da noção de responsabilidade no Holocausto, ao acusar alguém de "cumplicidade" com o extermínio, sem provas de participação direta nos assassinatos.

Leia mais
Exército sírio retoma controle sobre bairros rebeldes em Aleppo
Italianos votam referendo de reforma constitucional no próximo domingo
Cuba presta primeira grande homenagem a Fidel na Praça da Revolução

Em 2011, o ex-guarda do campo de Sobibor, John Demjanjuk, condenado por cumplicidade, também apresentou um recurso. No entanto, o réu faleceu enquanto a Corte Federal examinava o caso e o tribunal não pôde validar ou invalidar o conceito ampliado de responsabilidade.

"Esta decisão afirma, finalmente, de forma clara, que todos aqueles que participaram no processo de extermínio compartilham a responsabilidade e a culpabilidade", afirmou em um comunicado Christoph Heubner, do Comitê Internacional de Auschwitz. "Isto enviará uma mensagem duradoura para os próximos julgamentos relacionados com o genocídio", completou.

Oskar Groning está em liberdade, já que o recurso de cassação é suspensivo. O Ministério Público determinará se o seu estado de saúde é compatível com a detenção, o que parece pouco provável.

O caso

Em 15 de julho de 2015, Groning foi condenado a quatro anos de prisão por, segundo ele, ter aceitado "um trabalho de escritório seguro" no campo de extermínio nazista de Auschwitz, na Polônia. Durante o julgamento ele admitiu ter cometido uma "falta moral" e pediu desculpas.

A Alemanha julgou nos últimos anos vários nazistas em processos que ilustram o crescente, embora tardia, rigor da Justiça em relação ao grupo. Quase 1,1 milhão de pessoas, incluindo um milhão de judeus, morreram entre 1940 e 1945 no campo de Auschwitz-Birkenau, libertado pelos soviéticos em janeiro de 1945.


 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: a Chapecoense é uma unanimidade https://t.co/w9WYf5SyKn #LeiaNoSantahá 8 diasRetweet
  • santacombr

    santacombr

    Santa"Pode-se tentar calar o juiz, mas nunca se conseguirá calar a Justiça", reage Cármen Lúcia https://t.co/JZDSmNAMoY #LeiaNoSantahá 8 diasRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros