Saiba como será o velório coletivo das vítimas em Chapecó - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Preparação01/12/2016 | 20h48Atualizada em 02/12/2016 | 10h19

Saiba como será o velório coletivo das vítimas em Chapecó

Dos 64 corpos que voltarão ao Brasil, estima-se que 51 sejam velados na Arena Condá

Saiba como será o velório coletivo das vítimas em Chapecó Cristiano Estrela/Agencia RBS
Cadeiras para os familiares das vítimas serão colocadas no gramado Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS
darci debona e Roelton Maciel

roelton.maciel@diariocatarinense.com.br

O secretário de Segurança Pública de Medellín confirmou na noite desta quinta-feira que às 9h desta sexta-feira se inicia o procedimento de translado das vítimas do acidente com o avião da Chapecoense. As autoridades colombianas e a comitiva brasileira na Colômbia acreditam que os corpos dos 64 brasileiros vítimas do acidente com o avião da Chapecoense cheguem ao município de Chapecó entre a madrugada e a manhã deste sábado. 

Segundo o embaixador brasileiro na Colômbia, Julio Bitelli, os voos que transportarão os corpos devem sair da Colômbia às 16h (19h em Brasília) desta sexta-feira. O último dos três aviões da Força Aérea Brasileira deve pousar no aeroporto de Chapecó por volta das 8h de sábado. O percurso vai durar pelo menos 12 horas, contanto com uma pausa para reabastecimento de aproximadamente uma hora e meia em Manaus. 

Até as 20h (horário de Brasília) desta quinta-feira, 31 corpos entre brasileiros, bolivianos, paraguaio e venezuelana já tinham sido liberados para as funerárias. Do total, estima-se que pelo menos 51 devem ficar em Chapecó para o velório coletivo na Arena Condá. Os demais serão levados diretamente para as regiões de origem: Florianópolis, São Paulo, Rio Janeiro e algumas cidades do Rio Grande do Sul. 

As autoridades colombianas também informaram que os corpos das vítimas de outras nacionalidades _ um venezuelano, um paraguaio e cinco bolivianos _ já estão prontos para serem transportados a seus países. O translado do paraguaio estava previsto para ocorrer nesta quinta-feira às 20h (horário de Brasília). O corpo da vítima da Venezuela será enviado na sexta-feira às 11h. Já os quatro corpos de bolivianos e as cinzas da quinta vítima boliviana serão transportadas na sexta-feira às 12h.

A logística em Chapecó

A chegada dos três voos na cidade será intercalada e irá acontecer com intervalos de 15 minutos. A primeira aeronave deverá pousar no Aeroporto Serafim Enoss Bertaso por volta de 7hs (horário de Brasília) deste sábado. A Chapecoense não garantiu que a permanência dos corpos do brasileiros na Arena Condá, mas a expectativa é que eles sejam retirados antes para que haja tempo hábil de serem velados novamente nas regiões onde ocorrerá o sepultamento. 

Antes de os portões da Arena Condá serem abertos ao público, serão reservados 45 minutos para que as famílias participem de cerimônia privada no gramado do estádio. Até a noite desta quinta-feira, pelo menos 900 jornalistas de 16 países estavam credenciados para a cobertura. 

Os caixões serão transportados em três caminhões abertos e um quarto veículo levará os profissionais da imprensa no percurso. Carros dos bombeiros vão abrir e fechar o cortejo, que será monitorado por policiais. Os familiares das vítimas devem aguardar a chegada dos corpos na Arena Condá, onde uma sala foi reservada para atendimento médico, caso necessário. Para eles também foram reservadas cadeiras, que ficarão sob toldos instalados no gramado. Um telão  será instalado no lado de fora do estádio para que torcedores que não conseguirem entrar na Arena possam acompanhar a cerimônia. 

O trajeto ao aeroporto até a Arena já foi definido e, ao todo, o comboio passará por três ruas: Avenida Irineu Bornhausen, Avenida General Osório e, por fim, Rua Uruguai.

Além da lotação das arquibancadas, que suporta 19 mil pessoas, haverá área delimitada no gramado para o fluxo de até 2,5 mil pessoas, sendo que a preferência será para os amigos das vítimas. A presença do presidente Michel Temer é esperada ao menos no aeroporto. Profissionais responsáveis por cerimoniais e segurança do planalto já avaliaram as dependências da Arena Condá, mas o presidente não deve comparecer no estádio. 


 
 
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros