Upiara Boschi: Votação do pacote anticorrupção dividiu deputados catarinenses - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Opinião01/12/2016 | 07h31

Upiara Boschi: Votação do pacote anticorrupção dividiu deputados catarinenses

O lageano e o xanxerense voltaram a conversar francamente sobre seus projetos e decidiram pelo armistício

A votação do pacote anticorrupção, especialmente os polêmicos destaques da madrugada de terça para quarta-feira, dividiu os deputados federais catarinenses. A emenda que cria punições por abuso de autoridade para magistrados e membros do Ministério Público recebeu oito votos favoráveis e cinco contrários. Pelo sim votaram Angela Albino (PCdoB), Mauro Mariani (PMDB), Rogério Peninha (PMDB), Ronaldo Benedet (PMDB), Valdir Colatto (PMDB), Jorginho Mello (PR), Marco Tebaldi (PSDB) e Pedro Uczai (PT). Contra, Celso Maldaner (PMDB), Edinho Bez (PMDB), Jorge Boeira (PP), Carmen Zanotto (PPS) e Geovânia de Sá (PSDB). O deputado Esperidião Amin (PP) se absteve e estavam ausentes Décio Lima (PT) e João Rodrigues (PSD). A medida é considerada uma reação à Operação Lava-Jato e foi aprovada. Vai, com o pacote todo, para o Senado.


Política de SC em luto

Não poderia ser diferente, embora em Brasília os parlamentares pensem o contrário, mas a comoção pela trágico acidente do avião que levava a Chapecoense para Medellín suspendeu as atividades políticas em Santa Catarina. A Assembleia Legislativa viveria votações importantes esta semana, como a Lei de Diretrizes Orçamentárias e o projeto que tenta regularizar a polêmica operação financeira envolvendo Celesc e Fundo Social. Tudo ficou de lado.


Cadeira à espera do dono

Como previsto, Filipe Mello (PR) deixou a Secretaria Estadual de Turismo, Cultura e Esporte ontem. O ato de exoneração foi publicado no Diário Oficial do Estado e traz como substituto o secretário Nelson Serpa, da Casa Civil, que acumulará as pastas interinamente. O governador Raimundo Colombo (PSD) havia pedido que ele aguardasse até o final do mês no cargo.

O PR catarinense anunciou em 8 de novembro que deixaria o secretariado do governo estadual. Presidente estadual da sigla, o deputado federal Jorginho Mello foi lançado pré-candidato do governo e disse que o partido iria apostar em um projeto próprio. O secretário que deixa a pasta é filho do parlamentar. O novo comando da pasta de Cultura, Turismo e Esporte depende da decisão do PSDB sobre aderir ou não ao governo estadual. Na segunda-feira, a cúpula tucana aprovou a decisão de abrir as conversas com Colombo. Se aceitarem o convite, o favorito para a vaga é o deputado estadual e ex-governador Leonel Pavan.

Quanto a Filipe Mello, está cotadíssimo para uma vaga no secretariado do prefeito eleito de Florianópolis, Gean Loureiro (PMDB).

JORNAL DE SANTA CATARINA

 
 
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros