Justiça alemã arquiva investigação da tragédia da Germanwings - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Ocorrida em março de 201509/01/2017 | 15h31Atualizada em 09/01/2017 | 15h31

Justiça alemã arquiva investigação da tragédia da Germanwings

Avião foi atirado deliberadamente contra as montanhas pelo copiloto, o que causou a morte de 150 pessoas

Justiça alemã arquiva investigação da tragédia da Germanwings Denis Bois/AFP
Foto: Denis Bois / AFP
AFP
AFP

A justiça alemã anunciou, nesta segunda-feira, que arquivou a investigação sobre a catástrofe aérea da Germanwings, quando um de seus aviões foi derrubado deliberadamente pelo copiloto nos Alpes franceses em março de 2015.

— A investigação não forneceu provas suficientes ou tangíveis sobre responsabilidades externas de pessoas ainda vivas entre familiares, médicos ou funcionários da companhia — declarou à AFP Christoph Kumpa, porta-voz da promotoria de Dusseldorf que conduziu a investigação na Alemanha.

Leia mais
Os últimos minutos do Airbus da Germanwings antes do acidente na França
Saiba quem era o copiloto Andreas Lubitz, que provocou a queda do avião da Germanwings

A investigação determinou que a tragédia foi deliberadamente provocada pelo copiloto Andreas Lubitz, de 27 anos, que sofria de depressão aproveitou-se da ausência momentânea do comandante para trancar-se na cabine e lançar o avião contra as montanhas. A catástrofe deixou 150 mortos, incluindo 72 alemães e 50 espanhóis.

Os investigadores alemães procuravam determinar se houve negligência por parte dos médicos que tratavam Lubitz e que não teriam relatado seus problemas psiquiátricos para Germanwings, filial de baixo custo da Lufthansa.

O copiloto não falou sobre seus impulsos suicidas a seus médicos ou parentes, o que significa que nenhum deles poderia assinalar tal problema à companhia aérea, indicou Kumpa ao justificar o arquivamento do inquérito.

Na França, a investigação tenta determinar o nível de conhecimento da empresa sobre o estado mental do copiloto, o que poderia levar a um julgamento.

Os familiares das vítimas também apresentaram uma ação nos Estados Unidos contra a escola de pilotos que treinou Lubitz, que recebeu sua habilitação após ser examinado por vários médicos nos anos anteriores ao desastre.

Leia as últimas notícias de Mundo

*AFP

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaCasal de Joinville esteve em mansão nas Bahamas, de onde partiram brasileiros que queriam entrar nos EUA e ainda estão desaparecidos …há 31 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaGoverno oficializa reajuste de 6,58% para aposentadorias acima do mínimo https://t.co/DGQY2cT13b #LeiaNoSantahá 39 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros