Suposto autor de dossiê sobre Trump está desaparecido - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Estados Unidos12/01/2017 | 15h01Atualizada em 12/01/2017 | 15h01

Suposto autor de dossiê sobre Trump está desaparecido

Christopher Steele não está em casa nem no trabalho, e meios de comunicação locais afirmam que o agente teria fugido

Suposto autor de dossiê sobre Trump está desaparecido TIMOTHY A. CLARY/AFP
Foto: TIMOTHY A. CLARY / AFP
AFP
AFP

Apesar da perseguição dos meios de comunicação, o suposto autor do polêmico relatório sobre as relações entre Donald Trump e a Rússia, Christopher Steele, considerado um ex-espião britânico reconvertido a consultor, segue desaparecido nesta quinta-feira.

O homem de 52 anos foi identificado por vários meios de comunicação americanos como o autor do documento de 35 páginas que o presidente eleito Donald Trump considera totalmente falso.

Leia mais
Inteligência dos EUA nega ter vazado informações sobre Trump à imprensa
México não pagará por muro na fronteira com os Estados Unidos, diz Peña Nieto
Trump diz que Rússia pode estar por trás de ataque hacker nas eleições americanas

A publicação de seu nome por parte do Wall Street Journal desencadeou uma verdadeira caçada na Grã-Bretanha, mas Steele não está nem em sua casa, nem em seu escritório, e meios de comunicação locais afirmam que teria fugido.

Sua grande casa de tijolos vermelhos, no povoado de Runfold, perto de Londres, estava vazia nesta quinta-feira, comprovou um jornalista da AFP. Um de seus vizinhos, Mike Hopper, disse à agência PA que Steele vivia ali há 18 meses com a esposa e seus quatro filhos. Quando saiu de casa, na manhã de quarta-feira, parecia normal, afirmou.

— Não disse onde ia nem quando voltaria — acrescentou Hopper, explicando que, enquanto isso, cuidará de seus três gatos.

Segundo o jornal The Telegraph, que cita uma fonte anônima, Steele teria fugido, preocupado por sua segurança, de sua família e possíveis represálias após a publicação do documento.

Segundo seu perfil no LinkedIn, Steele é um dos diretores da consultoria londrina Orbis Business Intelligente. Em seu site, a empresa diz que foi fundada em 2009 "por antigos profissionais dos serviços britânicos".

"Com sede em Londres, mas com um alcance global, nossa principal força é nossa capacidade para combinar uma rede de fontes de alto nível com uma sofisticada capacidade de investigação", indica a empresa que, nesta quinta-feira, não respondia ao telefone e tinha muitos jornalistas parados em  sua porta.

"Fornecemos conselhos estratégicos, organizamos operações para coletar inteligência e realizamos investigações complexas, em muitos casos transfronteiriças", acrescenta a Orbis.

Ex-agente do MI6 em Moscou

O diretor da consultoria, Chris Burrows, se negou a "confirmar ou desmentir" a participação da empresa no relatório Trump ao Wall Street Journal. Os escritórios da Orbis, situados perto do Palácio de Buckingham, estão no segundo andar de um edifício elegante. 

— Hoje não virá ninguém — disse à AFP a recepcionista do edifício.

Segundo o Wall Street Journal, que cita um ex-agente da CIA, Christopher Steele trabalhou durante vários anos em Moscou para o MI6, a agência britânica de inteligência Exterior, e tem boa reputação entre os profissionais.

— É um agente de inteligência respeitado e, como muitos deles, começou uma segunda carreira quando alcançava os 50 anos — segundo um especialista em segurança da BBC, Franl Gardner.

Estes ex-agentes "costumam trabalhar (no setor privado) por muito mais dinheiro e com muito mais liberdade", explicou, embora tenha dito que era incomum que uma pessoa com este perfil estivesse envolvida a este nível em questões políticas.

Consultado pela AFP, o ministério das Relações Exteriores britânico, que administra a comunicação externa do MI6, não quis fazer comentários. Christopher Steele "não trabalha" para a administração britânica, afirmou um porta-voz da primeira-ministra, Theresa May.

O polêmico relatório do qual Steele seria o autor inclui muitas informações comprometedoras sobre Donald Trump, entre elas a existência de um vídeo no qual apareceria junto a prostitutas russas ou informações sobre suas supostas trocas de informação com o Kremlin há décadas. O relatório foi publicado na terça-feira pelo Buzzfeed News.

Leia as últimas notícias de Mundo

*AFP

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPalestrantes com renome mundial passam por Blumenau durante evento de negócios https://t.co/WrzY1GOgXN #LeiaNoSantahá 9 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaDepois de amanhecer gelado, temperaturas podem chegar a 24ºC em Santa Catarina  https://t.co/h5QU3Ox1zx #LeiaNoSantahá 18 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros