Trump promete novo decreto migratório para semana que vem  - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Estados Unidos16/02/2017 | 20h14Atualizada em 16/02/2017 | 20h14

Trump promete novo decreto migratório para semana que vem 

Primeira determinação do presidente americano foi suspensa pela Justiça

Trump promete novo decreto migratório para semana que vem  NICHOLAS KAMM/AFP
Foto: NICHOLAS KAMM / AFP
AFP
AFP

O presidente americano, Donald Trump, adiantou, nesta quinta-feira, que emitirá na semana que vem um novo decreto sobre imigração, depois que o primeiro, vetando a entrada de imigrantes e de refugiados no país, foi suspenso pela Justiça.

— Vamos emitir um novo decreto na próxima semana, que protegerá nosso país de forma ampla — disse Trump, em coletiva de imprensa na Casa Branca.

Há três semanas, o presidente republicano ordenou a proibição da entrada nos Estados Unidos de refugiados e cidadãos de sete países de maioria muçulmana, o que gerou um grande caos nos aeroportos e causou uma onda de protestos em várias partes do mundo.

Leia mais
Ações de Trump podem prejudicar candidatura de Los Angeles para Jogos de 2024
Bola de neve de escândalos se agiganta sobre a Casa Branca
Vice-presidente dos EUA e Temer conversam por telefone sobre comércio e emprego

Um tribunal de Seattle suspendeu a medida, decisão ratificada posteriormente por uma Corte de Apelações, no que foi o primeiro grande revés para o governo Trump.

O Departamento de Justiça informou que o governo abandonou a apelação do decreto em uma moção apresentada à Corte de Apelações do Nono Circuito (com sede na Califórnia) e antecipou que o Executivo prepara outro decreto que eliminará os questionamentos à sua inconstitucionalidade.

O presidente disse à imprensa que o novo decreto está "muito ajustado" à decisão da Corte, apesar de ter dito que "poderemos ajustá-lo para obter de alguma maneira a mais" o que contemplava a ordem suspensa.

— Temos alguns dos melhores advogados do país trabalhando nisso e a nova ordem executiva está sendo ajustada à decisão que obtivemos da Corte — apontou.

Trump não escondeu seu incômodo com os juízes, assinalando que a suspensão foi uma "decisão ruim".

Ele também se mostrou dividido diante do programa "Ação Diferida para os Chegados na Infância" (Daca, na sigla em inglês), que protege da deportação jovens migrantes em situação ilegal, com o qual prometeu acabar durante sua campanha.

— Vamos mostrar um grande coração — afirmou.

O mecanismo Daca foi adotado em 2012 pelo então presidente Barack Obama e permitia regularizar a situação de imigrantes que chegaram de forma clandestina aos Estados Unidos quando menores de idade e que foram levados por seus pais.

Para Trump, o "Daca é um tema muito, muito difícil. Porque têm essas crianças incríveis, em alguns casos — não todos. Em alguns casos, têm traficantes de drogas e bandidos também".

— E acredito que seja muito duro fazer o que a lei diz exatamente que se deve fazer. A lei é muito, muito dura — afirmou.

Leia as últimas notícias de Mundo

*AFP

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaNova temporada de "Stan Lee's Lucky Man" e outras atrações para ver na TV na noite desta sexta-feira https://t.co/wlzbNnk0M5 #LeiaNoSantahá 43 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaJoinville ganha primeira sala de orações e dá início ao Centro Islâmico https://t.co/PMivhcWuPB #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros