Cólera e diarreia provocaram mais de 500 mortes na Somália desde janeiro, aponta ONU - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

África13/04/2017 | 09h39Atualizada em 13/04/2017 | 09h42

Cólera e diarreia provocaram mais de 500 mortes na Somália desde janeiro, aponta ONU

Cerca de 6,2 milhões somalis necessitam de assistência humanitária urgente no país, que é afetado pela seca

Cólera e diarreia provocaram mais de 500 mortes na Somália desde janeiro, aponta ONU MOHAMED ABDIWAHAB/AFP
Foto: MOHAMED ABDIWAHAB / AFP
AFP
AFP

Pelo menos 553 pessoas morreram desde janeiro por cólera e diarreia aguda na Somália, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). O país é ameaçado pela fome e deverá somar cerca de 50 mil pacientes afetados pelas epidemias até o final de junho, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A OMS informa que cerca de 25 mil pessoas foram afetadas por cólera e diarreia desde o início de 2017 na Somália, devastada pela seca. A taxa de letalidade (risco de morte causada pela doença) relacionada à epidemia é de 2,1% atualmente, percentual duas vezes superior ao limiar de emergência (fixado em 1%).

Leia mais
Sede da campanha de Marine Le Pen é alvo de ataque em Paris
Bachelet anuncia reforma da Previdência no Chile
Reino Unido diz que encontrou gás sarin em amostras de ataque na Síria

A situação é particularmente preocupante nas regiões de Juba Oriental e de Bakol, no sul do país, onde a taxa de mortalidade associada ao surto de cólera e diarreia atinge respectivamente 14,1% e 5,1%.

Cerca de 6,2 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária urgente na Somália. Destas, 2,9 milhões estão em estado de "crise ou de emergência" (nas fases 3 e 4 numa escala de 5, de acordo com a classificação utilizada pela ONU. A fase 5 é a fome aguda).

A crise humanitária tem provocado muitos deslocamentos — mais de meio milhão desde novembro. A seca no país deve continuar a médio prazo e as Nações Unidas não preveem melhoria nos próximos seis meses. Em 2011, a última grande fome na Somália matou pelo menos 260 mil pessoas, segundo a ONU.

Leia as últimas notícias de Mundo

*AFP

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaTRE-SC lança primeira campanha focada no incentivo à participação das mulheres na política https://t.co/yyzXFLDtGB #LeiaNoSantahá 36 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaNSC Notícias estreia com visual moderno e conteúdo relevante https://t.co/bAU6Rgp75H #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros