Vice-presidente dos EUA promete "resposta esmagadora" às ameaças da Coreia do Norte - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Diplomacia19/04/2017 | 08h56Atualizada em 19/04/2017 | 08h56

Vice-presidente dos EUA promete "resposta esmagadora" às ameaças da Coreia do Norte

Em visita ao Japão, Mike Pence classificou o regime norte-coreano como a "ameaça mais perigosa para a paz" na região asiática do Pacífico

Vice-presidente dos EUA promete "resposta esmagadora" às ameaças da Coreia do Norte TORU YAMANAKA/AFP
Mike Pence realiza visita de dois dias no Japão após passar pela Coreia do Sul Foto: TORU YAMANAKA / AFP
AFP
AFP

Em declaração a soldados norte-americanos no Japão, nesta quarta-feira, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, prometeu uma "resposta esmagadora em caso de ataque" da Coreia do Norte. O vice de Donald Trump afirmou que há "nuvens no horizonte" e classificou o regime norte-coreano como a "ameaça mais perigosa e urgente para a paz e a segurança na Ásia Pacífico".

Pence fez as declarações no Japão, onde realiza uma visita de dois dias depois passar pela Coreia do Sul, onde visitou a fronteira com a Coreia do Norte. A missão diplomática ocorre em plena tensão com os Estados Unidos pela possibilidade de que Pyongyang esteja preparando o sexto teste nuclear.

Leia mais
Trump elogia esforços da China para pressionar a Coreia do Norte
Frota americana ainda está longe da Coreia do Norte
Rússia espera que EUA não atuem unilateralmente contra a Coreia do Norte

O vice-ministro das Relações Exteriores norte-coreano, Han Song-Ryon, afirmou à BBC, na terça-feira, que o ritmo de testes balísticos irá acelerar. 

— Vamos realizar mais testes de mísseis semanalmente, mensalmente e anualmente.

Diante da atitude da comunidade internacional, que considera os testes uma provocação e uma violação das resoluções da ONU, Pence já advertiu há alguns dias que "todas as opções estão sobre a mesa".

— Derrotaremos qualquer ataque e reagiremos ao uso de qualquer arma convencional ou nuclear com uma resposta esmagadora — afirmou, citando a "determinação do presidente Trump e das forças armadas dos Estados Unidos".

O porta-aviões Ronald Reagan, que se encontra na base naval americana de Yokosuka, forma parte da sétima frota de Washington e está pronto para uma mobilização programada no Pacífico ocidental.

Outro componente da sétima frota, o porta-aviões USS Carl Vinson, atualmente diante da costa australiana, planeja chegar na próxima semana ao mar do Japão (mar do Leste, em sua denominação sul-coreana).

Relações delicadas com Pequim

A retórica de guerra preocupa Coreia do Sul e Japão, vizinhos do regime de Pyongyang. Na terça-feira, o presidente japonês, Shinzo Abe, pediu o favorecimento da via diplomática e pacífica — um diálogo que terá que passar forçosamente pela China, como reconheceu Trump, silenciando as críticas à política econômica de Pequim.

— O que deveria fazer? Lançar uma guerra comercial contra a China enquanto (o presidente chinês, Xi Jinping) trabalha em um problema claramente maior, na Coreia do Norte? — questionou o presidente durante entrevista transmitida, na terça-feira, pela rede americana Fox News.

As declarações representam uma mudança de atitude do presidente norte-americano, que há alguns dias ainda garantia querer resolver sozinho a questão nuclear norte-coreana se Pequim não conseguisse controlar seu turbulento vizinho.

Leia as últimas notícias de Mundo

*AFP

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaBrusque: Mais de 500 trabalhadores fazem passeata pelas ruas do Centro. Foto: Thiago Andrade/Sintimmmeb>… https://t.co/hd72y9YgVXhá 1 diaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaBlumenau: Vídeo mostra o momento em que os manifestantes encerram o protesto na BR-470 https://t.co/oXtsUOPj8Ihá 1 diaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros