Ataque contra sede de rádio e TV deixa dois mortos no Afeganistão - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Terrorismo17/05/2017 | 10h15Atualizada em 17/05/2017 | 10h15

Ataque contra sede de rádio e TV deixa dois mortos no Afeganistão

Ofensiva em Jalalabad foi reivindicada pelo grupo Estado Islâmico

Ataque contra sede de rádio e TV deixa dois mortos no Afeganistão NOORULLAH SHIRZADA/AFP
Forças de segurança do Afeganistão chegam ao local do ataque, em Jalalabad Foto: NOORULLAH SHIRZADA / AFP
AFP e Agência Brasil

Homens armados atacaram, nesta quarta-feira (17), a sede da Rádio e Televisão do Afeganistão (RTA) em Jalalabad, capital da província de Nangarhar, e mataram pelo menos duas pessoas. O tiroteio seguiu por mais de duas horas após o início da ofensiva, que ocorreu perto do quartel-general da polícia local.

O porta-voz do governo provincial, Attaullah Jogyani, citou um grupo de quatro criminosos responsáveis pelo ataque. No entanto, o número exato ainda é incerto. O atentado foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

A reivindicação do ataque foi assumida por meio de um comunicado publicado pela agência de notícias Amaq, vinculada aos terroristas, e divulgada por canais jihadistas no Telegram.

Segundo o porta-voz da Polícia de Nangarhar, Hazrat Hussain Mashriqiwal, as forças afegãs mataram três membros do grupo extremista.

Leia mais
Atentado contra veículos blindados da Otan deixa oito mortos no Afeganistão
Chefe do Pentágono visita Afeganistão após ataque talibã contra base militar
Ataque talibã provoca carnificina em base militar do Afeganistão

O secretário de Saúde, o médico Najibullah Kamawala, mencionou "14 feridos enviados aos hospitais" de Jalalabad. O edifício da RTA fica diante da sede do governo provincial e do quartel-general da polícia de Jalalabad.

Todas as avenidas próximas ao local foram bloqueadas. Testemunhas afirmaram que ouviram fortes explosões.

— Quando ouvi os tiros, consegui escapar, mas os meus colegas continuam presos no prédio — afirmou um fotógrafo da RTA que pediu para o nome não ser revelado.

— Não sabemos qual é o alvo exato, mas estamos respondendo ao ataque — disse Hazarat Hussain Mashreqiwal, porta-voz da polícia, cujo quartel fica a menos de 300 metros do local.

Foto: NOORULLAH SHIRZADA / AFP

Devastado pelo conflito entre forças do governo e rebeldes, o Afeganistão registrou a morte de 13 jornalistas no país, em 2016. Os combatentes talibãs, que iniciaram em abril a tradicional ofensiva de primavera, têm forte presença na província de Nangarhar, fronteiriça com o Paquistão.

A região também tem a presença de extremistas do Estado Islâmico (EI), que transformaram a região em base de retaguarda no Afeganistão.

Nas últimas semanas, as tropas afegãs, apoiadas pelas forças norte-americanas, executaram várias operações para expulsar o EI da região, durante as quais três militares foram mortos. O Pentágono prometeu expulsar o EI do país até o fim do ano.

Em abril, a Força Aérea americana lançou a bomba convencional mais potente da história e matou 96 integrantes do EI na região. A operação, no entanto, foi criticada por muitos analistas, para quem os talibãs, e não o EI, constituem a principal ameaça para a estabilidade e a paz no Afeganistão.

Os talibãs controlam ou disputam mais da metade do território com as forças governamentais. A situação empurra a Casa Branca e a Otan a reforçar a presença das forças ocidentais, que atualmente contam com 13,2 mil militares, incluindo 8,4 mil americanos.

Leia mais notícias de Mundo

*AFP

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaMotorista blumenauense morre em colisão entre dois caminhões no Rio Grande do Sul https://t.co/JEAkV9uvs4 #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaNova função no WhatsApp: aplicativo passa a permitir envio de localização em tempo real https://t.co/PoabsKor6v #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros