Obama pede "coragem" política em discussão sobre a reforma da saúde nos Estados Unidos - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Congresso08/05/2017 | 11h11Atualizada em 08/05/2017 | 11h13

Obama pede "coragem" política em discussão sobre a reforma da saúde nos Estados Unidos

Na semana passada, a Câmara dos Representantes dos EUA aprovou um projeto de lei que substitui o Obamacare

Obama pede "coragem" política em discussão sobre a reforma da saúde nos Estados Unidos Ryan McBride/AFP
Obama recebeu o prêmio "Perfis de Coragem" da Fundação da Biblioteca John F. Kennedy, na noite de domingo (7) Foto: Ryan McBride / AFP
AFP
AFP

O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu aos congressistas para que atuem de acordo com a própria consciência e protejam os norte-americanos mais vulneráveis em meio à discussão do projeto de lei republicano que pretende substituir o sistema público de saúde, conhecido como Obamacare.

Em Boston, onde recebeu o prêmio "Perfis de Coragem" da Fundação da Biblioteca John F. Kennedy, na noite de domingo (7), Obama afirmou que "a coragem significa não apenas fazer o que é politicamente conveniente", mas aquilo que os parlamentares "acreditam que seja correto".

— É minha fervorosa esperança de que os membros que hoje estão no Congresso, sem se importar com o partido, estejam dispostos a constatar os fatos e dizer a verdade, inclusive se contradizer as posições partidárias — afirmou.

Leia mais
Obama: mudanças no sistema de saúde prejudicarão "milhões de americanos"
Câmara de Representantes aprova lei que substitui Obamacare nos EUA
Em março, Trump sofreu primeira derrota e desistiu de votar fim do Obamacare

Os republicanos da Câmara de Representantes aprovaram na semana passada um projeto de lei que derruba a reforma do Obamacare, cumprindo uma das promessas de campanha do atual presidente Donald Trump.

A expectativa é de que os senadores republicanos moderados rejeitem ou ajustem vários elementos do projeto, já que vários expressaram sua preocupação para retirada do plano Medicaid, a cobertura limitada para os americanos de baixos recursos e uma disposição que permite aos planos de saúde aumentar os preços para pessoas com condições de saúde pré-existentes — uma prática que a lei atual proíbe.

Os republicanos culpam o Obamacare pelo aumento do preço dos seguros, reduzindo as opções para milhões de pessoas.

Os democratas alegam que a lei ajudou a 20 milhões de americanos a obter cobertura de saúde e salvou milhares de vidas ao proibir que os planos negassem apólices a pessoas com problemas médicos pré-existentes.

Leia as últimas notícias de Mundo

*AFP

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaOito suspeitos de envolvimento no atentado em Manchester seguem presos https://t.co/ywHbRTuPlH #LeiaNoSantahá 29 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaReceita Federal apreende R$ 2 milhões em mercadorias falsificadas no Porto de Itajaí https://t.co/X7nDlkCghH #LeiaNoSantahá 29 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros