Trump admite que perguntou a ex-diretor do FBI se estava sendo investigado - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Relação com a Rússia12/05/2017 | 08h39Atualizada em 12/05/2017 | 08h39

Trump admite que perguntou a ex-diretor do FBI se estava sendo investigado

Questionamento teria ocorrido durante duas conversas por telefone com James Comey, de acordo com o presidente norte-americano

Trump admite que perguntou a ex-diretor do FBI se estava sendo investigado BRENDAN SMIALOWSKI/AFP
Foto: BRENDAN SMIALOWSKI / AFP
AFP
AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, admitiu que perguntou ao ex-diretor do FBI James Comey, exonerado na terça (9), se havia uma investigação em andamento contra ele pela suposta relação entre o republicano e a Rússia, suspeita de interferir na eleição norte-americana em 2016. As conversas entre Trump e Comey teriam ocorrido em duas conversas por telefone, segundo o presidente.

— Eu perguntei: "Se for possível, pode me dizer se há uma investigação sobre mim?". Ele respondeu que não havia nenhuma investigação — disse Trump em entrevista à NBC, na quinta-feira (11).

Leia mais
Trump demite diretor do FBI
Demissão do diretor do FBI é "assunto interno" dos EUA, diz porta-voz russo
Rodrigo Lopes: Trump tenta cortar o mal pela raiz ao demitir diretor do FBI

Donald Trump reconheceu que estava pensando nas acusações relacionadas à interferência da Rússia quando tomou a decisão de destituir Comey. 

— De fato, quando me decidi, disse a mim mesmo: "este assunto com a Rússia, Trump e Rússia, é uma história inventada" — argumentou.

Trump afirma que conversou com Comey sobre o assunto pela primeira vez durante um "jantar muito agradável". Segundo o presidente, o ex-diretor "queria continuar sendo o chefe do FBI e eu lhe disse que pensaria sobre isso", conta Trump. 

— E naquele dia me disse que eu não era alvo de investigação, algo que eu já sabia de qualquer maneira.

James Comey foi exonerado na última terça-feira (9) Foto: JIM WATSON / AFP

Bastidores 

De acordo com o jornal The New York Times, Trump teria pedido a Comey uma promessa de lealdade em um jantar uma semana depois da chegada do republicano à Casa Branca.

Segundo o jornal, que cita dois sócios de Comey, ele se recusou a fazer a promessa, mas garantiu a Trump que era "honesto". O jornal não disse se o jantar é o mesmo que foi citado pelo presidente na entrevista à NBC.

A porta-voz da presidência, Sarah Huckabee Sanders, citada pelo jornal, refuta, no entanto, a versão e garante que Trump "nunca sugeriu que esperava lealdade a sua pessoa, mas para nosso país e seu grande povo".

O FBI investiga desde o último verão as ingerências russas na campanha presidencial dos Estados Unidos e sobre uma eventual coordenação entre membros da equipe de campanha de Trump e a Rússia.

Na terça-feira, Trump provocou um verdadeiro terremoto político ao demitir Comey alegando insatisfação pela forma como conduziu uma investigação sobre os e-mails de Hillary Clinton quando era secretária de Estado.

No entanto, Comey também era responsável por uma das várias investigações abertas sobre as supostas tentativas da Rússia de influenciar nas eleições presidenciais do ano passado.

Leia as últimas notícias de Mundo

*AFP

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaMostra fotográfica dá sequência à Semana da Imigração Alemã https://t.co/0igOpYfSfR #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaGrupo que operava falsas lojas virtuais movimentou R$ 15 milhões https://t.co/t2UJft9eVN #LeiaNoSantahá 2 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros