Venezuela está "à beira da crise humanitária", diz embaixadora dos EUA nas Nações Unidas - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Diplomacia17/05/2017 | 12h46Atualizada em 17/05/2017 | 16h43

Venezuela está "à beira da crise humanitária", diz embaixadora dos EUA nas Nações Unidas

Nikki Haley defendeu que a comunidade internacional atue para garantir que o presidente Nicolás Maduro restaure a democracia no país

Venezuela está "à beira da crise humanitária", diz embaixadora dos EUA nas Nações Unidas Jewel SAMAD/AFP
Foto: Jewel SAMAD / AFP
AFP
AFP

A embaixadora norte-americana na Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, afirmou, nesta quarta-feira (17), que a Venezuela está "à beira da crise humanitária". Segundo a diplomata, a comunidade internacional deve trabalhar de maneira conjunta para garantir que o presidente Nicolás Maduro restaure a democracia.

— Na Venezuela, estamos à beira da crise humanitária — disse Haley antes da reunião do Conselho de Segurança da ONU que discutirá a situação no país sul-americano, onde ao menos 42 pessoas morreram em protestos contra o governo nas últimas seis semanas.

Leia mais
Embaixador brasileiro vai reassumir posto na Venezuela
Maduro decreta estado de exceção na Venezuela
Uma ativista dos direitos humanos na Venezuela criada na angústia

— Manifestantes pacíficos foram feridos, detidos e inclusive mortos pelas mãos do seu próprio governo. Não há remédios, os hospitais não têm materiais e é difícil encontrar comida — declarou a embaixadora americana.

— Pelo bem do povo venezuelano, e da segurança da região, devemos trabalhar juntos para nos certificarmos que Maduro acabe com esta violência e opressão, e devolva a democracia ao povo — ressaltou.

Diplomatas informaram que não esperam que a reunião do Conselho estabeleça ações concretas.

Manifestantes opositores organizam diariamente desde 1º de abril protestos nas ruas do país, em meio ao colapso da economia do país e contra as medidas que, segundo eles, fortalecem o poder do presidente Maduro.

A escassez de alimentos e medicamentos se soma ao problema da inflação, a mais alta do mundo, que deve chegar a 720% este ano, segundo o Fundo Monetário Internacional.

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, denunciou recentemente uma "verdadeira tragédia" na Venezuela. E em suas reuniões ou telefonemas com líderes latino-americanos, o presidente Donald Trump reiterou a sua preocupação com a situação no país sul-americano.

Os Estados Unidos concentram agora seus esforços na ONU, depois que o governo venezuelano decidiu retirar o país da Organização dos Estados Americanos (OEA), cujos ministros das Relações Exteriores vão se reunir em 31 de maio para discutir a situação.

Um grupo de 15 congressistas americanos, democratas e republicanos, solicitou no início de maio que Trump levasse a crise na Venezuela ao Conselho de Segurança da ONU.

Em sua carta, os legisladores afirmam que se o governo Maduro se recusar a fornecer ajuda humanitária à população, Washington deve pressionar por uma resolução no Conselho de Segurança para aumentar a pressão internacional sobre Caracas.

Mas qualquer ação deve receber o apoio da Rússia e da China, membros permanentes do Conselho, com grandes investimentos na Venezuela.

"A situação humanitária na Venezuela é desesperadora", ressaltam os parlamentares na carta, lembrando que mais de 18.000 venezuelanos solicitaram asilo nos Estados Unidos em 2016, o maior número por nacionalidade esse ano, de acordo com dados oficiais.

Na terça-feira, oito senadores americanos apresentaram um projeto de lei que visa punir autoridades políticas venezuelanas.

Outra iniciativa na Câmara dos Representantes visa facilitar a obtenção do status de refugiado aos venezuelanos que já vivem nos Estados Unidos.

Leia mais notícias de Mundo

*AFP

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaBlog do Pancho: "Cachorro motorista" alerta para infração perigosa https://t.co/gvRqd9c69Shá 14 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaReajuste da gasolina deve atingir todos os postos da Grande Florianópolis até segunda-feira https://t.co/BZQfJlpenM #LeiaNoSantahá 42 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros