Marinheiros americanos seguem desaparecidos após choque entre destróier e cargueiro no Japão - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Buscas17/06/2017 | 13h04Atualizada em 17/06/2017 | 19h43

Marinheiros americanos seguem desaparecidos após choque entre destróier e cargueiro no Japão

Aviões, helicópteros e barcos revistaram a zona do Pacífico em busca dos desaparecidos

Marinheiros americanos seguem desaparecidos após choque entre destróier e cargueiro no Japão US Navy/Navy Office of Information
Foto: US Navy / Navy Office of Information
AFP
AFP

A Guarda Costeira japonesa fez buscas neste sábado (17) pelos sete marinheiros americanos desaparecidos depois da colisão entre um destróier da marinha dos Estados Unidos e um navio mercante filipino. O choque entre o destróier USS Fitzgerald e o navio mercante ACX Crystal ocorreu às 2h30min local (14h30min de sexta-feira, horário de Brasília), quando o destróier navegava 56 milhas náuticas a sudoeste da cidade japonesa de Yokosuka, informou a Frota do Pacífico.

Aviões, helicópteros e barcos revistaram a zona do Pacífico, no litoral japonês, em busca dos desaparecidos.

— Sete marinheiros seguem desaparecidos — anunciou a Marinha de Guerra americana em um comunicado.

Vários tripulantes do destróier ficaram feridos, entre eles o capitão Bryce Benson. Nenhum dos 20 membros da tripulação do cargueiro ficou ferido. O tráfico marítimo é muito intenso nessa região próxima dos grandes portos de Yokohoma e Tóquio.

Leia mais
Número de mortos em incêndio de prédio em Londres sobe para 58
Príncipe George e Charlotte roubam a cena em aniversário da rainha

— No passado, houve acidentes — declarou o porta-voz da Guarda Costeira, Yutaka Saito.

O  USS Fitzgerald tem 154 metros, está baseado em Yokosuka, ao sul de Yokohama e Tóquio, e opera no Oceano Pacífico. O ACX Crystal é um porta-contêineres de 222 metros da gigante japonesa NYK Line, e seguia para Tóquio no momento do acidente.

Um vídeo da NHK News mostra o casco do Fitzgerald a boreste, logo à frente da ponte, severamente danificado, e segundo a rede de televisão CNN o navio vazava água. Segundo o comunicado da Frota do Pacífico, "o USS Fitzgerald teve o casco danificado a boreste acima e abaixo da linha d'água".

As causas do acidente ainda não foram esclarecidas, mas a NHK disse que o cargueiro realizou uma manobra brusca no momento em que ocorreu a colisão, o que foi desmentido por seu capitão. A Guarda Costeira japonesa já iniciou as investigações da causa da colisão.

O USS Fitzgerald sofreu muitos danos, segundo a Frota do Pacífico, e foi lentamente rebocado para Yokosuka, na baía de Tóquio. Segundo imagens da TV japonesa, o cargueiro apresentou danos leves.

 — Apesar de estar de volta em Yokosuka, não sabemos ainda quanto tempo será preciso para ter acesso aos diferentes espaços e continuar metodicamente a busca dos desaparecidos — explicou a Sétima Frota dos Estados Unidos em um comunicado. 

No Twitter, o presidente norte-americano Donald Trump escreveu: "Pensamentos e orações para os marinheiros do 'USS Fitzgerald' e suas famílias. Obrigado a nossos aliados japoneses por sua ajuda".

* AFP

 
 

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaLegislativas albanesas visando UE têm pouca participação https://t.co/qyr0wQuxvk #LeiaNoSantahá 4 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaEUA recomendam 'diminuição da retórica' a Doha e Riad https://t.co/MDbj9RP7Fz #LeiaNoSantahá 29 minutosRetweet

Mais sobre

Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros