Joinville registra a primeira morte por gripe B de Santa Catarina - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Saúde pública06/07/2017 | 15h48Atualizada em 07/07/2017 | 10h13

Joinville registra a primeira morte por gripe B de Santa Catarina

Jailson Jean Cardoso, 17 anos, estava internado na UTI e morreu na última segunda-feira

Joinville registra a primeira morte por gripe B de Santa Catarina Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Joinville registrou na última segunda-feira a primeira morte por gripe B neste ano em todo o Estado. A vítima foi Jailson Jean Cardoso, 17 anos, que estava internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Hospital São José. Ele deu entrada no Pronto-atendimento Sul no fim de semana e foi transferido para a unidade estadual. A irmã dele também chegou ao PA no domingo com possíveis sintomas, mas recebeu alta no dia seguinte.

Leia as últimas notícias sobre Joinville e região no AN.com.br

Esta foi a quarta morte de pessoas com o vírus Influenza na cidade. As outras três morreram por gripe A, do subtipo H3N2. Até agora, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) identificou 16 casos de gripe em Joinville. Foram 14 pessoas com H3N2 e outras duas com o vírus Influenza B. Em Santa Catarina, já são 211 casos identificados, sendo 27 óbitos.

De olho na prevenção

É importante lavar as mãos com frequência e evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas. Também é necessário manter superfícies e objetos que entram em contato frequente com as mãos, como mesas, teclados, maçanetas e corrimãos, limpos com álcool, e não compartilhar objetos de uso pessoal, como copos e talheres.

Se estiver gripado, cubra a boca e o nariz com um lenço quando tossir ou espirrar ou use o antebraço. Evite sair de casa quando tiver gripado.

Os sinais e sintomas, em geral, são:

- Febre alta
- Calafrios
- Tosse, que pode ser seca ou com expectoração
- Dor de cabeça
- Dor de garganta
- Cansaço
- Dor muscular
- Coriza

A doença

A influenza, normalmente conhecida como gripe, é uma doença grave que causa danos à saúde das pessoas há muitos séculos. Existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. Os vírus A e B apresentam maior importância clínica. Estima-se que, em média, o tipo A causa 75% das infecções, mas em algumas temporadas, ocorre predomínio do tipo B.

Os tipos A e B sofrem frequentes mutações e são responsáveis pelas epidemias sazonais e, também, por doenças respiratórias com duração de quatro a seis semanas. Em geral, essas são associadas ao aumento das taxas de hospitalização e de mortes por pneumonia, especialmente em pacientes que apresentam doenças crônicas e fatores de risco. O vírus C raramente causa doença grave.

Transmissão

O vírus é transmitido a partir das secreções respiratórias, podendo também sobreviver algumas horas em diversas superfícies tocadas frequentemente, de madeira, aço e tecidos. A partir do contato com um doente ou com uma superfície contaminada, o vírus pode penetrar pelas vias respiratórias, causando lesões pulmonares, que podem ser graves e até fatais, se não tratadas a tempo.

Os vírus influenza circulam durante todo o ano, intensificando-se principalmente no período de inverno, quando as pessoas buscam se abrigar do frio em ambientes fechados, o que favorece a transmissão. A transmissão ocorre principalmente em ambiente domiciliar, creches, escolas e em ambientes fechados ou semifechados. Estima-se que uma pessoa infectada seja capaz de transmitir o vírus para até dois contatos não imunes.

Complicações

Pessoas de todas as idades são susceptíveis à infecção pelo vírus influenza. Porém, a evolução geralmente tem resolução espontânea em sete dias, embora a tosse, o mal-estar e a fadiga possam permanecer por algumas semanas. Alguns casos podem evoluir com complicações. As complicações mais comuns são: pneumonia bacteriana e por, outros vírus, sinusite, otite e desidratação.

Alguns indivíduos estão mais propensos a desenvolverem complicações graves, especialmente aqueles com condições e fatores de risco para agravamento, entre esses: gestantes, adultos com idade maior que 60 anos, crianças com idade menor que dois anos e indivíduos que apresentem doença crônica, especialmente doença respiratória crônica, cardiopatia, obesidade (IMC igual ou superior a 40), diabetes descompensada, síndrome de Down e imunossupressão e imunodepressão.

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: Governo quer votar Reforma da Previdência ainda neste ano, diz Meirelles  https://t.co/dmfE3AMUJB #LeiaNoSantahá 17 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaPedro Machado: Fiesc vai entregar Agenda Estratégica da indústria para Meirelles https://t.co/D1TGyTNJ3I #LeiaNoSantahá 28 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca