Coreia do Norte ignora ONU e promete mísseis sobre Guam e Pacífico - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Tensão bélica30/08/2017 | 09h04Atualizada em 30/08/2017 | 16h56

Coreia do Norte ignora ONU e promete mísseis sobre Guam e Pacífico

Kim Jong-Un lançou armamento sobre o Japão na terça-feira (30)

Coreia do Norte ignora ONU e promete mísseis sobre Guam e Pacífico AFP PHOTO/KCNA VIA KNS
Líder norte-coreano Kim Jong-Un supervisionou o lançamento do míssil, segundo a agência estatal KCNA Foto: AFP PHOTO / KCNA VIA KNS
AFP
AFP

O presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-un, prometeu novos lançamentos de mísseis sobre o Pacífico e a ilha de Guam e garantiu que o tiro de terça-feira (29) sobre o Japão — condenado pela ONU — é apenas um "prelúdio". 

Nesta quarta-feira (30), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que discutir com a Coreia do Norte "não é a solução", dando a entender, em um tuíte ambíguo, que a busca por uma solução diplomática com o regime de Pyongyang está condenada ao fracasso.

Contudo, seu secretário de Defesa, Jim Mattis, declarou que ainda há lugar para a diplomacia com a Coreia do Norte. 

Foto: KIM Won-Jin / AFP PHOTO

Leia mais
ONU condena lançamento de míssil norte-coreano sobre o Japão
"Todas as opções estão sobre a mesa", diz Casa Branca
Míssil não ameaçou Estados Unidos, diz Pentágono

O "Rodong Sinmun", jornal oficial do partido no poder na Coreia do Norte, publicou cerca de 20 fotos do disparo. Em uma delas, vê-se Kim Jong-un rodeado por seus conselheiros, com um mapa do noroeste do Pacífico em seu escritório.

Em uma nota publicada nesta quarta, a agência oficial de notícias norte-coreana, KCNA, cita Kim, anunciando "mais exercícios de disparos de mísseis balísticos no futuro, com seu alvo no Pacífico".

O lançamento de terça foi "um prelúdio importante para conter Guam, base avançada da invasão", declarou, referindo-se a um "avanço das contramedidas" frente às manobras militares que os exércitos americano e sul-coreano estão realizando na Coreia do Sul. Pyongyang considera que esses exercícios militares são um ensaio geral de uma invasão a seu território.

É a primeira vez que Pyongyang declara ter enviado um míssil sobre o território japonês. Em 1998 e em 2009, a Coreia do Norte havia lançado foguetes que sobrevoaram o Japão, mas, em ambas as ocasiões, Pyongyang havia argumentado que se tratava de veículos espaciais.

"Ações ameaçadoras"

Foto: STR / KCNA VIA KNS / AFP


Milhões de habitantes do norte do Japão acordaram terça-feira com uma mensagem de alerta do governo, enquanto pelos alto-falantes se ouvia: "Lançamento de míssil. Abriguem-se!".

"As ações ameaçadoras e desestabilizadoras apenas aumentam o isolamento do regime da Coreia do Norte na região e entre todas as nações do mundo", declarou Trump em um comunicado. "Todas as opções estão sobre a mesa", acrescentou.

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaComplexo Portuário de Itajaí é destaque em ranking mundial de movimentação de contêineres https://t.co/3Pq2uDnzhW #LeiaNoSantahá 2 horas Retweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaReunião da CCJ da Assembleia Legislativa debate polêmico empréstimo da Celesc https://t.co/fLbGm6hxE5 #LeiaNoSantahá 3 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros