Prefeito de Balneário Camboriú leva crise entre PM e Guarda ao Secretário de Estado de Segurança - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Cidades29/08/2017 | 18h28Atualizada em 29/08/2017 | 18h28

Prefeito de Balneário Camboriú leva crise entre PM e Guarda ao Secretário de Estado de Segurança

Veja esta e outras notícias da colunista Dagmara Spautz

Foto: Ivan Rupp / Divulgação

O secretário de Estado de Segurança Pública, Cesar Grubba, e o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Henrique Hemm, receberam ontem o prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira (PSB) para tratar sobre a crise institucional que interfere na convivência entre a PM e a Guarda Municipal na cidade. Fabrício falou da prisão de um guarda municipal pela PM, por porte ilegal de arma, há duas semanas. A solução para o conflito foi adiada para um novo encontro, com os comandos locais, que será marcado para aparar as arestas. 

Naufrágio

A Secretaria de Estado da Infraestrutura reuniu historiadores para analisar as suspeitas de que o navio Palas, utilizado pelos revoltosos da Marinha na Revolta da Armada, no fim do século 19, esteja naufragado na área da nova bacia de evolução de Itajaí _ a área de manobra dos navios. Os pesquisadores estão reunindo relatos e cartas náuticas da época para indicar com mais segurança qual seria o local do naufrágio. Há preocupação em não perder tempo, para não atrasar ainda mais o prazo de entrega da obra, previsto para abril do ano que vem. Por enquanto,  uma determinação é que o local onde foram localizados destroços de uma estrutura que pode ser o Palas sejam deixados para o final da empreitada.

 Via Portuária

Donos de imóveis que estão no caminho da lendária obra da Via Expressa Portuária de Itajaí começaram a ser chamados pela Secretaria de Urbanismo para tratar das desapropriações. A ideia é retomar o programa de indenizações para que a obra possa ser retomada assim que possível. Difícil é saber quando: depois de cinco anos de abandono, o projeto de engenharia precisou ser revisto e precisará de adaptações, a serem aprovadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). A promessa é que o dinheiro vem, mas terá que obedecer à difícil realidade orçamentária.

Curiosamente, o processo da obra mais emperrada de Itajaí está sendo tocado por dois especialistas em Balneário Camboriú: Auri Pavoni e Jade Martins, ambos ex-secretários de planejamento da cidade vizinha.  

Jornal de Santa Catarina
Busca