Morre baleia jubarte que encalhou em praia de Barra Velha - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Meio ambiente 18/10/2017 | 07h54Atualizada em 18/10/2017 | 07h54

Morre baleia jubarte que encalhou em praia de Barra Velha

Voluntários e profissionais de projetos de resgate chegaram a conseguir,durante a tarde,devolver o animal ao mar, mas ela não conseguiu seguir viagem e voltou a encalhar

Morre baleia jubarte que encalhou em praia de Barra Velha francisco rodrigues/Divulgação
Tentativa de salvar a baleia e devolvê-la ao mar mobilizou moradores, curiosos e profissionais Foto: francisco rodrigues / Divulgação

Integrantes do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), que ajudaram no resgate de uma baleia jubarte que havia encalhado na praia da Península, em Barra Velha, informaram que o animal não resistiu às tentativas de retorno ao mar e acabou morrendo. Segundo a equipe, a baleia chegou a ser desencalhada duas vezes, e voltou a encalhar na praia por uma terceira vez, mas já sem vida. 

A causa mais provável é de que o animal já estivesse doente. Na manhã desta quarta-feira, uma equipe do projeto deve ir ao local para realizar coleta de materiais e fazer uma análise clínica e entender os motivos que levaram ao encalhe do animal. A carcaça da baleia jubarte deve ser enterrada na praia

Mobilização na praia

Depois de pouco mais de 24 horas, a baleia que havia encalhado na praia da Península, em Barra Velha, foi retirada da areia para que pudesse voltar ao mar. O trabalho de resgate, coordenado pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), contou com a ajuda de vários profissionais, em uma equipe de pelo menos 25 pessoas. O desencalhe ocorreu no pico da maré,no início da tarde, com  um barco de apoio e um reboque de navio. 

A baleia, uma Jubarte juvenil, media aproximadamente oito metros e pesa cerca de 20 toneladas. Ela não apresentava machucados pelo corpo, apenas lesões provocadas provavelmente pelo encalhe na praia, mas, depois que foi retirada, ela continuou na área de arrebentação. 

A equipe que monitora o animal é formada pelos profissionais do PMP-BS, da Univali de Itajaí; da Associação R3 Animal, de Florianópolis; da Udesc de Laguna; e do Projeto Baleia Franca, do Instituto Australis, de Imbituba. O local foi isolado, mas, durante o período em que estes profissionais aguardavam o momento certo para o resgate, havia muitos curiosos no local. 

Alguns membros da comunidade, acreditando que poderiam ajudar a baleia se empurrassem em um grupo grande, não foram de acordo com os procedimentos realizados pela equipe, o que ocasionou ferimentos em duas pessoas, ainda que sem gravidade. A coordenação do Projeto de Monitoramento de Praias aconselha que, em casos semelhantes, a comunidade sempre peça ajuda de especialistas para realizarem o resgate. Por ser um animal selvagem e de grande porte, é necessário conhecer o protocolo para garantir a segurança do animal e da comunidade. 

Confira o vídeo do resgate, registrado por Carla Maria Scholz:

O projeto

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Pólo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. 

Quem encontrar aves, mamíferos ou tartarugas marinhas encalhadas entre as praias dos municípios de Ubatuba-SP e Laguna-SC, deve ligar para 0800 642 3341.



 
Jornal de Santa Catarina
Busca