Pancho: Museu funerário em Blumenau resgata história de família que trabalha há um século no ramo - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

MEMÓRIA27/11/2017 | 09h55Atualizada em 27/11/2017 | 09h55

Pancho: Museu funerário em Blumenau resgata história de família que trabalha há um século no ramo

Acervo é de família que veio da Alemanha e trabalha com a morte desde o início do século passado

 

Memorial Funerário Mathias Haas em Blumenau m
Capela Mortuária foi montada com peças da década de 1940Foto: Pancho / Agência RBS

Blumenau tem desde julho o primeiro museu funerário da América  Latina. Fica numa bela e antiga casa na Rua José Deeke, no bairro Escola  Agrícola, e reúne um acervo impressionante da família Haas, que em 2018  completa 100 anos trabalhando no ramo.

Siga Pancho no FacebookTwitter e Instagram

O Memorial Funerário Mathias Hass leva o nome do alemão que fundou no  ano de 1918, em Ibirama, a Marmoraria Haas, empresa que depois foi  transformada em Funerária Haas, com sede em Blumenau. O local reúne  parte importante do acervo que a família reuniu ao longo da história.  São fotos, documentos, máquinas e ferramentas que eram usadas na  produção de lápides, túmulos e ornamentos usados em cemitérios.

Memorial Funerário Mathias Haas em Blumenaumm
Livro de memórias de Mathias Haas foi escrito em alemão.Foto: Pancho / Agência RBS

Uma das principais peças do acervo é o livro de memórias de Mathias  Haas, que ele escreveu a mão em alemão gótico de 1937 a 1959. No  centenário da empresa a família que publicar um livro com o texto  traduzido. Na exposição já há a tradução de alguns trechos curiosos.

Histórias cruzadas

Outra peça importante é a placa que identifica a empresa usada na  primeira oficina montada em Ibirama. Ela foi encontrada em uma das  reformas que sofreu a sede da empresa na Rua São Paulo, em Blumenau. O  letreiro, escrito em alemão, estava escondido entre o telhado e o forro.  Segundo a gerente do memorial e bisneta de Mathias, Elke Haas Fonseca,  ela deve ter sido escondida na época do nacionalismo de Getúlio Vargas,  na década de 1940, quando a língua alemã foi proibida.

Memorial Funerário Mathias Haas em Blumenau
Ferramentas usadas na produção de túmulos e lápidesFoto: Pancho / Agência RBS

A ideia de montar o memorial veio em 2010. Abaixo você pode conferir  várias fotos da bela e profissional montagem do memorial, mas o bom  mesmo é poder conferir esse importante resgate de parte da nossa  história pessoalmente. As visitas são agendadas pelo telefone  (47) 3222-9960.

...


Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaCão terapeuta leva conforto a velórios em Balneário Camboriú https://t.co/vKSN8Tr4RH #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaDagmara Spautz: Cão terapeuta leva conforto a velórios em Balneário Camboriú https://t.co/jxmboyGlTw #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca