Sindicato dos trabalhadores se manifesta sobre resposta da Blumob à pauta de reivindicações - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Transporte coletivo24/11/2017 | 19h20Atualizada em 24/11/2017 | 19h47

Sindicato dos trabalhadores se manifesta sobre resposta da Blumob à pauta de reivindicações

Documento foi enviado após audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e consultado nesta sexta-feira pelo Sindetranscol

Sindicato dos trabalhadores se manifesta sobre resposta da Blumob à pauta de reivindicações Lucas Correia/Agência RBS
Foto: Lucas Correia / Agência RBS

A incerteza continua cercando a relação entre os trabalhadores do transporte coletivo de Blumenau e a empresa Blumob. Após a audiência ocorrida no início da semana no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), a concessionária do serviço na cidade respondeu a pauta de reivindicações apresentada pelo Sindicato dos Empregados das Empresas Permissionárias do Transporte Coletivo Urbano de Blumenau (Sindetranscol).

O sindicato teve acesso à manifestação da empresa nesta sexta-feira. Segundo o presidente Pradelino Moreira da Silva, a empresa não teria atendido os pedidos da categoria e teria inclusive sinalizado posição contrária a cláusulas que já fariam parte da atual convenção de trabalho – o dirigente sindical não quis revelar quais.

:: Leia mais notícias sobre transporte coletivo em santa.com.br

As divergências entre trabalhadores e empresa envolvem a questão financeira – a empresa teria proposto repassar o reajuste da inflação, de 1,83% segundo o INPC, ao salário e ao vale-alimentação, enquanto a categoria pede mais 3% de aumento real e elevação do ticket de R$ 700 para R$ 820 –, mas também assuntos trabalhistas. O Sindetranscol reivindica a proibição da terceirização de qualquer atividade no transporte, a não validação de rescisão contratual sem a prévia negociação com a entidade sindical e a prevalência da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) sobre qualquer acordo individual ou coletivo. A reportagem entrou em contato com a empresa via assessoria de comunicação, mas até o fechamento da matéria não houve retorno.

A falta de acordo já levou a categoria a decretar estado de greve no dia 15 e, no dia 16, desencadeou uma paralisação que deixou a cidade sem ônibus circulando por quatro horas ao longo do dia.

– Eu tinha esperança de que eles pudessem ceder, mas infelizmente isso não aconteceu. Não teve nada de avanço, a negociação retrocedeu, ficou pior do que estava semana passada – avaliou Pradelino.

Nova audiência na quarta-feira pode definir próximos passos
Diante disso, o Sindetranscol pretende divulgar na segunda-feira um informativo para os trabalhadores. Apesar de não descartar a possibilidade de paralisações a partir de terça-feira, o próximo passo da negociação entre Blumob e Sindetranscol e até mesmo alguma definição sobre uma possível greve deve ocorrer somente após a quarta-feira. Nesse dia as duas partes se encontram em mais uma audiência às 15h, no TRT, em Florianópolis.

Jornal de Santa Catarina
Busca