Vila Gaming reuniu fãs de jogos virtuais, dos clássicos às febres recentes em Blumenau - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Para amantes de jogos eletrônicos05/11/2017 | 21h08Atualizada em 06/11/2017 | 09h49

Vila Gaming reuniu fãs de jogos virtuais, dos clássicos às febres recentes em Blumenau

Street Fighter, Super Mario World, jogos com óculos de realidade virtual (VR), lojinhas com miniaturas de Pikachu e Stormtroopers: tudo isso ampliava as opções para o público

Vila Gaming reuniu fãs de jogos virtuais, dos clássicos às febres recentes em Blumenau Patrick Rodrigues/Jornal de Santa Catarina
Carlos Araújo se divertiu nos jogos de futebol Foto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

Cinco jogadores de cada lado do palco integram os dois times. Separados e de costas para o clã adversário como caubóis num duelo de faroeste, os desafiantes se mostram rápidos no gatilho quando têm à frente o computador como arma para enfrentar os personagens oponentes. No jogo cada integrante controla um herói que duela e segue estratégias em um mapa com o objetivo final de destruir a base da equipe inimiga e vencer a partida.

Clique aqui e confira com mais fotos do 1º Vila Gaming, em Blumenau

Esse é o League of Legends, o LoL, jogo virtual que virou febre nos últimos anos com o crescimento do chamado esporte eletrônico, ou e-sports, e arrasta multidões de jogadores e também de espectadores. Em setembro, a final do Campeonato Brasileiro do esporte reuniu 8 mil pessoas no Ginásio Mineirinho, em Belo Horizonte (MG), e foi assistida por 2,6 milhões de pessoas na TV e na internet. Neste fim de semana, foi também uma das atrações do 1º Vila Gaming, que ocorreu no Parque Vila Germânica, em Blumenau.

— É um jogo muito competitivo, que instiga a disputa e por isso atrai tanto as pessoas. Para jogar é preciso persistência, já que ele é bem abrangente, e estudar o jogo, ir atrás — conta o designer gráfico William Tavares, o Will, de 27 anos.

Ele é capitão do time Magic Kings, que participou da disputa, e joga League of Legends de quatro a cinco horas por dia, desde 2012.

No sábado, quem foi à Vila acompanhou duas semifinais e uma final do jogo, transmitidas no telão com narração e tudo. No domingo, o jogo da vez na arena montada no palco foi o Counter Strike, velho conhecido de quem manuseou um computador no fim dos anos 1990 e mais ainda dos frequentadores de espaços como a extinta Clansbr. Mesmo assim, o League of Legends foi assunto graças ao convidado do evento. Gabriel Bohm, o Kami, é bicampeão brasileiro, um dos jogadores profissionais mais valiosos do esporte e veio à cidade para dar dicas e conversar com fãs do jogo.

 Vila Gaming na vila germanica em Blumenau, William Tavares
William Tavares lidera equipe que disputou League of Legends no Vila GamingFoto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

Mas como nem só de LoL vive o esporte eletrônico, nem só o LoL foi destaque no Vila Gaming. Longe disso. Já na entrada do Setor 3 uma ala reservada a cardgames como Pokémon e RPG de mesa antecipava a diversidade de jogos presente no evento. Tinha mesmo espaço para tudo. De um lado quatro televisores atraíam uma grande ala masculina, com rapazes como o joinvilense Carlos Araújo, 35 anos, que brincavam de José Mourinho controlando o Manchester United em jogos de futebol do Fifa 18. Do lado oposto, um quarteto juvenil desafiava a rapidez dos ainda tenros músculos para seguir a coreografia de Single Ladies de Beyoncé no jogo Just Dance.

Programa também para pai e filho

Após vencer ao lado do filho o chefão de uma fase de Metal Slug 2 no fliperama, Ciandro Prado, 42 anos, explica que Miguel, nove anos, é apaixonado por jogos de videogame. Quando soube do Vila Gaming, entendeu que não havia lugar melhor para levar o pequeno no sábado. O sorriso do filho ao correr de um jogo a outro mostrava que intuição de pai também não se engana.

 Blumenau - Vila Gaming na vila germanica em Blumenau. Ciandro Prado e o filho Miguel.
Ciandro Prado acompanhou o filho Miguel sábado no eventoFoto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

Street Fighter, Super Mario World, jogos com óculos de realidade virtual (VR), lojinhas com miniaturas de Pikachu e Stormtroopers: tudo isso ampliava as opções para o público esperado pela organização, que era entre 1,6 mil e 2,1 mil pessoas nos dois dias. E também transformava o Setor 3 em um aconchegante reduto para os chamados geeks.

Queríamos aproximar quem gosta desses jogos e oferecer essa integração. É um público que não sai muito, não tem muitas alternativas de lazer, não vai no Ramiro correr, por exemplo, mas que precisa de opções e representa um mercado com muito potencial para expandir — projeta o membro do DCE da Furb e um dos organizadores do Vila Gaming, Jan Ricardo Rycerz.

:: Leia mais notícias de Blumenau e região em santa.com.br


Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaBlog do Pancho: Usuários do Quero-Quero aguardam aprovação da sinalização noturna do aeroporto https://t.co/xFaFqHNw36há 10 minutosRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaCaminhão carregando retroescavadeira atinge pedestre na BR-470 no Vale https://t.co/3MMdwXUZnu #LeiaNoSantahá 29 minutosRetweet
Jornal de Santa Catarina
Busca