Investigações na UFSC, morte de reitor e dívida na saúde mexeram com os catarinenses em 2017 - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

Retrospectiva31/12/2017 | 06h06Atualizada em 31/12/2017 | 06h06

Investigações na UFSC, morte de reitor e dívida na saúde mexeram com os catarinenses em 2017

Confira fatos que marcaram o Estado durante o ano

diario catarinense

Foi um ano em que operações da PF mexeram com a UFSC e os catarinenses. 2017 também fica marcado pelos problemas financeiros que afetam hospitais e postos de saúde de SC, além de temporais e até violência contra professora. Confira assuntos que marcaram Santa Catarina neste ano.  

Investigação na UFSC

14.9 | PF deflagra a Operação Ouvidos Moucos, que apura suposto desvio de recursos em programa de educação a distância da UFSC. Junto com seis professores, o reitor Luiz Carlos Cancellier do Olivo fica preso por um dia. No inquérito policial, ele é acusado de obstruir as investigações. Docentes, empresários e funcionários teriam desviado bolsas a pessoas sem vínculo com as atividades.

 Florianópolis, SC, Brasil, 101/05/2016.Posse do novo Reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Luiz Carlos Cancellier no Centro de Eventos.
Luiz Carlos Cancellier do OlivoFoto: Charles Guerra / Agencia RBS

Situação vexatória

20.9 | Em entrevista ao DC, Cancellier nega as acusações de obstruir a investigação. Também destaca que a prisão foi traumática e vexatória. "Você fica exposto perante uma série de pessoas, numa humilhação completa", disse ao colunista Moacir Pereira.

Gesto extremo

2.10 | Três semanas depois de ser preso temporariamente e impedido de entrar na UFSC por decisão judicial, o reitor pula do andar superior de um shopping na Capital. "A minha morte foi decretada quando fui banido da universidade", dizia o bilhete no bolso dele.

Homenagens e críticas

3.10 | Durante a sessão fúnebre do Conselho Universitário da UFSC em homenagem ao reitor, professores e autoridades criticaram a ação da PF. Na cerimônia, o vice-governador Eduardo Pinho Moreira fala sobre o episódio:

— Ações excessivas de órgãos fiscalizadores geram injustiças e essa (morte de Cancellier) talvez tenha sido a maior delas.

Afastamento

20.10 | Considerado testemunha-chave nas investigações da Ouvidos Moucos, o corregedor-geral da UFSC, Rodolfo Hickel do Prado, é afastado do cargo por 60 dias. Uma comissão de processo administrativo disciplinar é criada para apurar os fatos. Prado teve participação decisiva nas investigações da PF por ter afirmado que o ex-reitor agiu para interferir a apuração interna que investigava as irregularidades.

Reviravolta

24.10 | Reitora em exercício da UFSC, Alacoque Erdmann anula a decisão que afastava o corregedor. A mudança resulta na saída do chefe de gabinete, Áureo de Moraes, após decisão.

Troca de reitores

30.10 | Alacoque Erdmann pede licença da universidade por dois meses para tratamento de saúde. No seu lugar, assume Ubaldo Balthazar, do Centro de Ciências Jurídicas. O reitor pro tempore pede para Áureo de Moraes voltar. Uma comissão marca para 28 de março (1º turno) e 11 de abril (2º turno) a eleição do novo reitor.

Nova operação

7.12 | A PF, junto com a Controladoria-Geral da União e o Tribunal de Contas da União, deflagra a Operação Torre de Marfim, que apura aplicação irregular de verbas federais destinadas a projetos de pesquisa na UFSC. São cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e seis de condução coercitiva. Entre as irregularidades, os investigadores encontram indícios de contratações de serviços sem licitação prévia, pagamentos realizados a empresas pertencentes a gestores de projetos ou fantasmas.

Polícia Federal realiza coletiva para falar da operação Torre de Marfim, que pretende combater fraudes na UFSC
Nova operação na UFSC, dessa vez chamada de Torre de MarfimFoto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense

Transferência

4.12 | Érika Marena, delegada que conduziu a operação Ouvidos Moucos deixa SC e é promovida a superintendente da PF em Sergipe.

Passagem

1.7 | Blumob, nova empresa concessionária do transporte coletivo, começa a operar em Blumenau. Em janeiro, a prefeitura rompe com o Consórcio Siga, que operava o serviço. O município chegou a ficar sem concessionária até a chegada de um sistema emergencial.

Frase

"Este julgamento merece ser impugnado porque ele está comprado."

Felisberto Córdova, advogado, ao acusar em 3 de agosto na tribuna o desembargador Eduardo Gallo, relator do processo, de ter pedido R$ 700 mil para julgar favoravelmente a ação aos interesses do cliente. Em dezembro, o Órgão Especial do Tribunal de Justiça decide pelo afastamento de Gallo por 140 dias.

Felisberto CórdovaFoto: Reprodução / Reprodução

Violência na classe

21.8 | Uma professora de Indaial é agredida por um aluno de 15 anos na escola. O adolescente é internado no Capes provisoriamente por decisão da Justiça. Marcia Friggi desabafa em uma rede social e é atingida por uma onda de críticas.

R$ 110 milhões...

... em prejuízos

5.6 | Temporais e deslizamentos de terra castigam Santa Catarina entre o final de maio e o início de junho. Rio do Sul e Lages ficaram entre os municípios mais prejudicadao.

Beach Clubs

24.10 | Com uma sentença que gerou dúvidas, o Tribunal Regional Federal da 4a Região (TRF-4) julga, em Porto Alegre, recursos de decisão de primeira instância que determinava a demolição integral das estruturas à beira-mar em Jurerê Internacional. Sem um claro entendimento da decisão, que mandava demolir apenas parte das estruturas, os interessados entram com um pedido de embargos de declaração. Os réus também recorrem ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que concede efeito suspensivo até o julgamento do mérito na terceira instância. Na prática, as estruturas seguem de pé durante o verão.

Beach Club
Beach Clubs seguem em pé durante o verãoFoto: Marco Favero / Diário Catarinense

BR-280

28.3 | Concessão da BR-280 fica para 2018. Com a aprovação do orçamento um pouco maior, de R$ 122 milhões, o DNIT tenta duplicar trecho de 11 km do lote 1 (Araquari-São Francisco do Sul), ainda não iniciado. O resto vai para os lotes de Guaramirim e Jaraguá, em andamento, apesar do ritmo lento.

Saúde frágil

22.12 | A dívida da Secretaria Estadual da Saúde com hospitais, entidades filantrópicas e municípios passa dos R$ 500 milhões para R$ 1,08 bi, segundo auditoria do Tribunal de Contas do Estado. O titular da pasta, deputado Vicente Caropreso anuncia que deixa o cargo após o recesso acumulando frustrações.

Sem socorro

15.6 | Heloísa Martins Lisboa, de 1 ano e 20 dias, morre em Mafra sem atendimento do Samu. Após investigação, a Polícia Civil indicia 14 pessoas no caso. A menina não resiste a complicações de uma pneumonia, após 15 horas esperando transferência para o Hospital Infantil de Joinville.

Neve na Serra

9.6 | O Morro da Antena, em Urupema, registra os primeiros flocos de neve do inverno por volta das 12h20min. Perto das 13h, o fenômeno também é registrado em São Joaquim. As paisagens ficam cobertas de branco na Serra catarinense.

 FLORIANOPOLIS, SC, BRASIL, Morro das Antenas em Urupema, frio e muito Sincelo   : (Foto: Diorgenes Pandini/DC)Editoria: FotLocal: FlorianópolisIndexador: Diorgenes PandiniFonte: DCFotógrafo: Fotojornalista
Flocos de neve no Morro da Antena, em UrupemaFoto: Diorgenes Pandini / Agência RBS

Menos areia

29.10 | Uma combinação de ressaca e maré alta altera a configuração do litoral catarinense. O estrago é tanto que seis municípios do Estado decretam situação de emergência. Em praias tradicionais de Florianópolis, como Jurerê Internacional e Mole, a faixa de areia ficou reduzida e não há prazo para voltar ao normal.

Siga Santa no Twitter

  • santacombr

    santacombr

    SantaHomem é assassinado em Camboriú https://t.co/zyqxafuvbz #LeiaNoSantahá 1 horaRetweet
  • santacombr

    santacombr

    SantaVoluntários fazem mutirão para pintar Ponte dos Arcos em Blumenau https://t.co/xEXkfNLkPx #LeiaNoSantahá 4 horas Retweet
Jornal de Santa Catarina
Busca