No último dia do ano, helicópteros Arcanjo transportam seis órgãos em SC - Geral - Jornal de Santa Catarina

Versão mobile

 

Doação31/12/2017 | 22h14Atualizada em 31/12/2017 | 22h14

No último dia do ano, helicópteros Arcanjo transportam seis órgãos em SC

Transportes eram urgentes para cirurgias de transplante em quatro cidades

No último dia do ano, helicópteros Arcanjo transportam seis órgãos em SC Corpo de Bombeiros/Divulgação
Foto: Corpo de Bombeiros / Divulgação
Jornal de Santa Catarina
Jornal de Santa Catarina

Em meio a outras ocorrências pelo Estado, a equipe do Corpo de Bombeiros e do Samu que coordena os dois helicópteros Arcanjo (01 e 03) transportou a chance de uma nova vida para seis pessoas no último dia de 2017.

Foram seis órgãos transportados com urgência pelas aeronaves para transplantes neste domingo, dia 31. De manhã um dos helicópteros levou dois órgãos de Jaraguá do Sul para Florianópolis, enquanto na parte da tarde foram encaminhados outros quatro: um para Joinville, dois para Jaraguá do Sul e um para Blumenau.

O Corpo de Bombeiros não divulgou detalhes sobre os transplantes, mas destacou que em um dos casos o paciente estava em estado grave aguardando a cirurgia.

Confira abaixo um trecho da mensagem do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina sobre os transplantes:

"A operação de transporte de órgão é muito delicada e requer muita atenção na manipulação do órgão coletado que será transplantado em outro paciente, bem como, o tempo resposta é crucial para esse tipo de operação. Visto que o órgão fora do corpo tem uma vida útil curta, dessa forma, o transporte rápido é de fundamental importância dependendo do órgão a ser transplantado.  

Graças ao envolvimento e trabalho conjunto dos diferentes órgãos: CBMSC, SAMU, SC Transplante, Rede Hospitalar os receptores puderam ter uma nova chance de vida nesse ano que se encerra.

É importante que tenhamos um grande grupo de doadores, no mundo inteiro há uma grande falta de doadores e isso faz com que surja grandes listas de espera. Muitos pacientes que esperam um coração, um fígado ou um pulmão morrem, pois não há nenhum órgão à disposição. 

Seja você um doador, basta informar aos seus familiares sobre sua intenção de doar seus órgãos, pois serão eles quem irão tomar a decisão caso isso seja necessário".

 
Jornal de Santa Catarina
Busca